Abrigos para pessoas em situação de rua recebem 300 kits de materiais de limpeza

A doação é da empresa Agropalma, que se juntou ao governo do Estado e a outros parceiros para garantir a esse segmento social proteção na pandemia

09/04/2021 20h26 - Atualizada em 10/04/2021 00h22

As doações da Agropalma vão ajudar a manter os três abrigos que acolhem pessoas em situação de ruaMais uma empresa sediada no Pará concretizou seu apoio à estratégia do governo do Estado de acolhimento em abrigos de pessoas em situação de rua, como estratégia de combate à pandemia de Covid-19. Na tarde desta sexta-feira (09), a empresa Agropalma doou 300 kits de materiais de limpeza.Marcella Novaes, diretora administrativa da Agropalma, ressaltou a importância da união para diminuir os impactos da pandemia

“Internamente, nós já temos um comitê que trabalha no processo de prevenção ao coronavírus. A Agropalma é uma empresa muito preocupada com todo esse envolvimento social. É importante que toda a sociedade esteja unida em prol de ações comuns que ajudem grupos, e são pessoas que neste momento precisam ser assistidas. Nós, juntos com o governo do Estado, nos unimos para ajudar a diminuir os impactos causados por essa pandemia", frisou Marcella Novaes, diretora administrativa da empresa.

Em 2020, logo no começo da pandemia, o governo do Estado abrigou pessoas em situação de rua no Estádio Olímpico do Pará (Mangueirão) e na Arena Multiuso Guilherme Paraense (Mangueirinho). Neste ano, os espaços de acolhimento funcionam nas escolas estaduais Lauro Sodré, Dom Pedro II e Jarbas Passarinho, situadas no bairro do Marco, em Belém.

O ouvidor-geral Arthur Houat frisou que ″toda doação é bem-vinda″Parceria produtiva - Os donativos da Agropalma foram entregues no prédio da Ouvidoria-Geral do Estado (OGE), e depois encaminhados aos três abrigos. O ouvidor-geral, Arthur Houat, reforçou a importância da participação das empresas para a manutenção dos abrigos. "O Estado tem investido na saúde, segurança e alimentação dos abrigados, mas essa parceria com a iniciativa privada é muito produtiva para nós. Primeiro, porque demonstra o lado social das empresas, e porque nos ajuda a manter a salubridade do ambiente e o conforto aos que estão abrigados", disse Arthur Houat.

Ele ressaltou que qualquer organização pode fazer doações. "Toda doação é bem-vinda. Pode ser alimento, roupa, sandália, material de entretenimento e lazer. Nós temos priorizado os abrigos estaduais, mas à medida que for possível nós também estaremos encaminhando a espaços que deixaram de receber doações durante esse momento difícil", informou.

Por Camila Santos (SEASTER)