Junta Comercial registra aumento de 30% de abertura de novas empresas

Os dados indicam que Belém lidera o registro com 2.928 novas empresas; Ananindeua, 1.081; Santarém, 425; Marabá, 409; e Parauapebas, 406 

07/04/2021 13h02 - Atualizada em 07/04/2021 14h51
Por Fabíola Uchôa (JUCEPA)

Jucepa tem desburocratizado os procedimentos para registros de empresas, o que produz um ambiente de negócio mais atrativo no ParáUm ano depois do início da pandemia da Covid-19, o balanço registrado pela Junta Comercial do Estado do Pará (Jucepa) aponta um aumento de 30% no número de novas empresas registradas em março de 2021, se compara-se com os valores de março de 2020. Ao todo, são 9.506 novas empresas em março de 2021. No ano passado, no mesmo período, foram 7.314, enquanto em 2019, o número foi de 4.841 constituições. Os dados também indicam os municípios que mais abriram empresas. Belém lidera com 2.928, Ananindeua, com 1.081, Santarém com 425, Marabá com 409 e Parauapebas com 406. 

O setor de Serviços foi o que mais registrou aberturas em março, como também ocorreu nos meses anteriores, com 5.008 constituições. O segundo que obteve aumento também foi o Comércio, com o registro de 3.664 empresas, em março deste ano, e 2.847 empresas, no mesmo período do ano passado, o que corresponde ao aumento de 28,70%.

Em relação às atividades, o balanço realizado pela Jucepa mostrou que o Comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios foi a atividade que abriu empresas em março, entre os Microempreendedores Individuais (MEI), com 917 novas empresas. Para os demais tipos de empresas, a atividade: comércio varejista de cosméticos, produtos de perfumaria e de higiene pessoal foi a que mais abriu empresas, com 118 registros.

A presidente da Jucepa, Cilene Sabino, avalia que o aumento no número de abertura de empresas se justifica pelo incentivo dado pelo Governo do Pará, por meio do pacote econômico, nessa pandemia. As medidas governamentais ajudam economicamente aos empreendedores paraenses aliadas às melhorias e a desburocratização do ambiente empresarial no Estado. 

“Os números tão expressivos atestam o empenho da Jucepa em tornar os procedimentos mais ágeis, desburocratizados e unificados e, com isso, colaborar para o esforço do Governo em transformar o Estado em um ambiente propício para o empreendedorismo e para o desenvolvimento econômico”, afirmou Cilene Sabino. 

O número de alterações empresariais também cresceu no estado num total de 33,55%, no primeiro trimestre de 2021. Nesse período, a Jucepa aprovou 20.707 alterações, contra 13.759 alterações do primeiro trimestre de 2020.

“Para driblar a crise, o empresariado paraense preferiu manter a empresa aberta e realizar alterações para se adaptar ao cenário de restrições sanitárias e à economia digital. Os dados de abertura e alteração demonstram mais uma vez a força do nosso empresariado, sua capacidade de inovar e se renovar em meio às dificuldades”, destacou Cilene Sabino.