Pessoas em situação de rua, acolhidas em abrigos emergenciais, recebem ação social

Qualquer pessoa em situação de rua pode se dirigir à Escola Estadual Lauro Sodré, na travessa Pirajá, no bairro do Marco, em Belém, das 9h às 17h

29/03/2021 15h23 - Atualizada em 29/03/2021 16h18

Jovem é atendido em um dos abrigos estaduais, em Belém, que até esta segunda-feira (29), acolhem 250 pessoas em idades diversas   Um total de 44 pessoas em situação de rua, entre mulheres, homens, idosos, crianças e população trans, acolhidas na escola Jarbas Passarinho, em Belém, desde o dia 19 de março, em medida de proteção contra o novo coronavírus, ganharam cortes de cabelo da Ong Pará Solidário. A ação social promovida neste domingo (9), beneficiou pessoas que há muito tempo não acessavam esses serviços. 

"Durante todo o período de existência do grupo, sempre foi nosso intuito levar qualidade de vida às famílias de extrema pobreza, seja levando alimentos, roupas, brinquedos ou assistência médica e odontológica, de forma gratuita. No momento da pandemia fez-se necessário o apoio aos irmãos em situação de rua e, entre os serviços já disponibilizados, também promovemos esta ação de corte de cabelo em grupo, que desta vez foi levada aos abrigos que foram instalados para este público", disse Aline Martyres, vice presidente da organização Pará Solidário.

"A gente vive na rua, de uma lado para o outro, e agora com tudo isso acontecendo não pode ficar circulando; então quando eu soube do abrigo, vim logo. A gente recebe cuidado, se mantém limpo, coisa que não tem lá fora", disse uma abrigada de 33 anos, que preferiu não ser identificada. 

A ação integrada de governo é coordenada pela Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) Fundação ParáPaz, Prefeitura de Belém, com o apoio da Polícia Militar.

Até esta segunda-feira (29), cerca de 250 pessoas estão acolhidas nos abrigos emergenciais, entre mulheres, homens, casais, idosos, crianças e população trans. 

A triagem e o cadastramento prosseguem na Central de Acolhimento. Qualquer pessoa em situação de rua pode se dirigir à Escola Estadual Lauro Sodré, na travessa Pirajá, no bairro do Marco, em Belém. O acolhimento ocorre de domingo a domingo, das 9h às 17h.

Por Camila Santos (SEASTER)