'Segurança Por Todo o Pará' amplia combate à criminalidade na região Sudeste

Em São Félix do Xingu, o governo do Estado lançou o projeto e instalou o Comitê Integrado de Gestores de Segurança Pública Regional

25/02/2021 18h34 - Atualizada em 25/02/2021 20h26
Por Aline Saavedra (SEGUP)

Descentralizar a gestão e fomentar ações de combate à criminalidade, de acordo com as características de cada região. Este é o objetivo do Projeto Segurança Por Todo o Pará, que nesta quinta-feira (25) chegou a 14ª Região Integrada de Segurança Pública (Risp), mais especificamente no município de São Félix do Xingu, na região Sudeste, a mais de 690 quilômetros de Belém em linha reta. O projeto, realizado pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), já foi implantado nos municípios de Redenção (no Sul) e Abaetetuba (no Nordeste).Solenidade de lançamento do projeto na Câmara de Vereadores de São Félix do Xingu

Durante o lançamento do projeto em São Félix, no plenário da Câmara Municipal, também foi instalado o Comitê Integrado de Gestores de Segurança Pública Regional (Cigesp). "Por meio do Projeto Segurança por Todo o Pará nós viemos a 14ª  Risp, que tem sede em São Félix do Xingu, para implantar o Comitê Integrado de Gestores de Segurança Pública Regional. Através desse Comitê vão ser trabalhadas quatro vertentes para combater a criminalidade, e fazer frente às demandas de segurança pública na região. A importância é justamente a regionalização do enfrentamento da criminalidade. Os próprios gestores irão, de forma integrada, planejar as operações, as ações, com os recursos que já se encontram aqui na Regional, e também solicitar ao poder central recursos para fazer frente à demanda de criminalidade que tem na região. Dessa forma, será possível trabalhar com mais eficiência e, com certeza, vai trazer muitos frutos. A sociedade vai ser beneficiada com uma melhor segurança pública", garantiu o secretário adjunto de Operações da Segup, coronel Alexandre Mascarenhas.

Oficinas - As diretrizes do projeto foram detalhadas aos gestores da região, e depois iniciadas as oficinas sobre o assunto, a fim de expor os bons resultados das ações deflagradas na Região Metropolitana de Belém, como a expressiva queda na violência, colocando o Pará como o estado que mais reduziu a criminalidade em todo o Brasil, ao comparar os anos de 2019 e 2020. Também foi enfatizado que o projeto leva em consideração as peculiaridades locais.Autoridades que levaram a nova estratégia de segurança pública ao Sudeste

Em um estado com dimensões continentais como o Pará (são mais de 1,2 milhão de quilômetros quadrados), com 144 municípios e diferentes realidades regionais, a aplicação de um único plano não geraria o resultado esperado de integração entre os órgãos, e nem os benefícios necessários à população. Por isso, o projeto elaborado prevê ações norteadoras, que dão protagonismo ao Plano Tático Operacional Regional, construído de maneira colaborativa e dividido em três etapas: planejamento, desenvolvimento e avaliação.

De acordo com análise prévia, o projeto tem como principal meta reduzir, cada vez mais, mortes violentas, roubos, violência contra a mulher e violência sexual contra criança e adolescentes. Na região Sudeste, os principais desafios nessa área são a violência e criminalidade, o combate a incêndios e emergências, ações relacionadas a perícias criminais e ao sistema penitenciário.

Integração e benefícios - Segundo o comandante regional da Polícia Militar, tenente-coronel Wagner Almeida, a presença do "Segurança Por Todo o Pará" só traz benefícios aos agentes e ao cidadão. "Nós avaliamos esse evento como imprescindível para a região. A Segup ouve seus gestores e avalia os índices. Então, quando nós vimos que existe essa preocupação do governo do Estado, isso nos alegra, porque isso é inovador. A Polícia Militar, os Bombeiros, Polícia Civil, Seap (Secretaria de Estado de Administração Penitenciária), Centro de Perícias Científicas e demais órgãos de segurança fazem com que nós, unidos, lutemos com mais força contra a criminalidade. Quem ganha com isso é a sociedade, e nós estamos muito alegres com o resultado positivo dessa ação, que já pode ser percebido", afirmou o comandante regional.As diretrizes do projeto foram explicadas durante o ato de lançamento

Além da diminuição da violência, a integração permite sugestões de melhorias nas estruturas do sistema e nas condições de atuação dos agentes locais de segurança pública. "Aqui são oito municípios que compõem a 14ª Risp, de São Félix até Bannach, sendo São Félix do Xingu a sede. Então, a implantação do colegiado é visto com muito bons olhos. Esse trabalho mais afinado entre as instituições pode resultar em melhorias em prol do servidor e da sociedade", destacou o superintendente regional da 14ª Risp, delegado José Carlos dos Santos.

Também participaram do lançamento do projeto o secretário adjunto de Assuntos Penitenciários, coronel Arthur Moraes; o comandante Operacional do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Marcos Macedo; o coordenador das unidades regionais do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, Francisco Santos; o coordenador de Operações do Departamento de Trânsito, Ivan Feitosa, e representando a Polícia Civil, delegado Almir Santos, e o Departamento-Geral de Operações da Polícia Militar, coronel Pereira, além de servidores da segurança pública da região do Xingu.