Escola Estadual Albanízia de Oliveira incentiva alunos na continuidade ao movimento 'Todos em Casa Pela Educação'

Desde o dia 3 de fevereiro, são disponibilizados cadernos de atividades estruturantes e videoaulas para mais de mil alunos da unidade escolar

25/02/2021 16h01 - Atualizada em 25/02/2021 16h17
Por Lilian Guedes (SEDUC)

Entrga de cadernos para os alunos da 3ª série do ensino médio.Com o início do ano letivo de 2021 na rede pública estadual, o processo de ensino-aprendizagem tem sido bastante desafiador para toda comunidade escolar em decorrência da crise sanitária mundial do novo coronavírus (Covid-19). No entanto, para enfrentar essas adversidades, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), através das suas unidades escolares, se empenha para oferecer uma educação de qualidade e igualitária para todos os estudantes paraenses. 

Na Escola Estadual Albanízia de Oliveira, situada no bairro do Marco, em Belém, desde o dia 3 de fevereiro, são disponibilizados cadernos de atividades estruturantes e videoaulas para mais de mil alunos da unidade de ensino. Juntamente com o material didático, a instituição também incentiva os estudantes a utilizarem as ferramentas pedagógicas que a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) fornece, através do movimento “Todos em Casa Pela Educação”. 

Ruan Aquino, aluno da 3ª série do Ensino Médio, conta que as atividades não presenciais estão bem organizadas, os professores tiram as dúvidas que surgem durante as aulas virtuais e também explicam o conteúdo de forma bastante didática, o que o estudante avalia ser fundamental, principalmente neste momento que é inviável o retorno presencial em sala de aula. 

“Apesar das dificuldades, muitos estudantes vão conseguir alcançar o que desejam. Espero conseguir fazer o Enem no final do ano, tirar uma boa nota na prova e entrar em uma universidade. Para me preparar, estou utilizando os compêndios, os cadernos de atividades estruturantes e também acompanho as videoaulas pela TV Cultura do Pará”, afirma o estudante. 

Os cadernos de atividades estruturantes, disponibilizados de maneira mensal aos alunos, compreendem todas as áreas do conhecimento e convergem entre si para trabalhar o currículo continuum (metodologia que está sendo aplicada este ano, como forma de minimizar os impactos da pandemia no processo educacional em 2020). Vale ressaltar que este modelo de aprendizagem foi aprovado pelo Conselho Estadual de Educação do Pará (CEE-PA), e segue todas as orientações do comitê escolar. 

O diretor da Escola Estadual Albanízia de Oliveira, Jorge Theo Queiroz, destaca que está sendo garantido aos estudantes da unidade de ensino, todos os métodos possíveis de aprendizagem, como videoaulas por meio do Google Classroom, entrega de compêndios de exercícios, entre outros. Por fim, o gestor comemora o engajamento e a participação dos alunos, durante a realização das atividades pedagógicas. 

“Nossos alunos participam ativamente das atividades escolares. Diariamente, são gravadas e inseridas no Google Classroom, duas aulas para os estudantes dos turnos da manhã e da tarde, para cada ano de ensino. Além das videoaulas, os professores alimentam a plataforma educacional com exercícios para serem respondidos on-line”, reforçou o diretor. 

Os educadores e a equipe técnico-pedagógica da unidade escolar, desenvolveram um sistema para organizar o agendamento das videoaulas na plataforma do Google. Os conteúdos de aprendizagem são transmitidos por meio do Google Meet e as atividades são disponibilizadas pelo Google Classroom. 

Segundo a professora Lucélia Santos, que leciona a disciplina de Geografia na Albanízia de Oliveira, durante os seus 20 anos de trajetória acadêmica, a educadora sempre procurou sair da zona de conforto. Em decorrência da pandemia da Covid-19, a especialista conta que foi instigada a desenvolver atividades mais dinâmicas e diferenciadas aos seus alunos. 

“Apesar de não estarmos presencialmente em uma sala de aula, sempre procuro agregar em meu método de ensino, canções; slides atualizados do conteúdo ministrado; vídeos educativos; entre outros recursos pedagógicos. Além disso, sempre personalizo meu próprio figurino e ainda toco instrumentos musicais durante as aulas e, meus alunos amam essa forma atrativa e diferente de ensinar”, enfatiza Lucélia Santos. 

Vale ressaltar que, ao entrarem na sala de aula virtual, os estudantes precisam digitar no chat o seu nome completo e a turma em que estão matriculados, para que seja registrada a frequência dos participantes e, assim, seja feito o controle de quem está nas atividades escolares, ainda que de maneira não presencial. 

ENEM 2021 

Previsto para ocorrer no final deste ano, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021, já mobiliza os professores da Escola Albanízia de Oliveira, em preparação para a prova. Desde o início das aulas não presenciais, estão sendo realizados webinários e aulões virtuais com dicas por disciplina e suas respectivas áreas do conhecimento, como forma de garantir a competitividade dos alunos inscritos no teste educacional. 

Aluno da 3ª série do Ensino Médio, Rogério Moraes, conta que pretende fazer o exame para ingressar no Ensino Superior. O candidato afirma que as aulas remotas disponibilizadas pela escola têm lhe ajudado no direcionamento das matérias que mais caem na prova. “Esses conteúdos são como um norte para eu poder estudar em casa, por conta própria e usá-las como direcionamento dos assuntos explicados durante as aulas online”, pontua Rogério. 

Texto: Lucas Rocha e Vinícius Leal.