Santa Casa realiza programação pelos 371 anos de atendimento à população

A maternidade, referência em atendimento materno-infantil de alta e média complexidades, realiza mais de 700 partos por mês

22/02/2021 13h59 - Atualizada em 22/02/2021 14h50
Por Samuel Mota (SANTA CASA)

Programação de aniversário da Santa Casa do Pará reuniu direção e servidores no auditório da instituição nesta segunda-feira (22)Referência no Pará, a Santa Casa é o maior hospital público na área de atendimento materno-infantil de alta e média complexidade, e completa esta semana 371 anos de fundação voltada ao atendimento da população, tanto da capital quanto do interior e, até de pessoas de outras cidades brasileiras. A maternidade realiza mais de 700 partos por mês e conta com cerca de 500 leitos em atividade.

Nesta segunda-feira (22), a programação de aniversário do hospital contou com a presença da direção e de servidores.  “Um hospital deste tamanho, desta imponência, com todos esses anos de história, só é feito por conta das pessoas que aqui trabalham, e aqui vêm dar o seu empenho, o seu suor em prol da sociedade. Sem a participação e o empenho de todos eles jamais teríamos atingido os números, os bons resultados, nessa pandemia”, enfatizou o presidente da Fundação Santa Casa, Bruno Carmona, em agradecimento a todos os servidores da instituição.

“Obviamente nenhum de nós sabíamos enfrentar uma pandemia, por nunca termos vivido e acredito que o saldo é bem positivo, dentro das limitações e das dificuldades que enfrentamos no dia a dia”, acrescentou o presidente, Bruno Carmona.

A enfermeira Nazaré Falcão (à esquerda), escolhida por usuários pelos bons serviços prestados, recebeu homenagem da OuvidoriaBruno Carmona observou que o tempo de existência da Santa Casa quase se confunde com o tempo da fundação de Belém. “É importante reconhecer o trabalho dessa instituição para a sociedade nesses quase quatro séculos de existência, atendendo os paraenses e pacientes de outros locais fora do estado”, afirmou.

A enfermeira Nazaré Falcão, uma das servidoras escolhidas pelos usuários da Santa Casa, pelos bons serviços prestados, agradeceu e reconheceu a importância de trabalhar em prol dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Ela atua no Ambulatório da Mulher e disse que as mulheres que buscam o atendimento precisam de atenção e carinho dos servidores.

“São pessoas necessitadas que têm dificuldades, que vêm de barco, que vem nas vans, nos ônibus do interior e que precisam ser acolhidas. E o Ambulatório da Mulher faz esse trabalho. Nós tentamos a cada dia melhorar. O SUS precisa de pessoas e profissionais que atendam aos usuários se colocando no lugar delas e deles. Quando a gente faz isso, com certeza ajudamos muito. Eu acho que a Santa Casa desenvolve esse trabalho e todos os prêmios que foram entregues aqui devem ser reforçados aos outros colegas, que todos merecem estar aqui e que todos estejam aqui no próximo ano”, disse a enfermeira Nazaré Falcão.

Técnica de enfermagem, Sandra Costa, venceu a 2ª Mostra de Fotografia, e recebeu homenagem do presidente, Bruno Carmona"É muita emoção, quero agradecer a Deus, em primeiro lugar, porque adoro fotografia. Fui incentivada por uma colega e consegui fazer um registro especial. E agora ver esse trabalho reconhecido não tem preço", afirmou a técnica de enfermagem, Sandra Costa, vencedora do primeiro lugar da 2ª Mostra de Fotografia.

Sandra Costa registrou uma mãe com seus trigêmeos no colo, e foi com essa imagem que ela concorreu ao tema “A Vida é o maior presente”. 

Premiação – A programação homenageou os três primeiros colocados na 2ª Mostra de Fotografia. O concurso obteve 59 fotos inscrições; sete setores da Instituição foram destacados pela Ouvidoria do Hospital e três servidores escolhidos por usuários pelos bons atendidos.

História - Fundada no dia 24 de fevereiro de 1650 como Irmandade da Santa Casa de Misericórdia do Pará, a instituição passou por diversas mudanças administrativas e de logísticas nesses séculos. Entre elas, duas importantes intervenções do Estado. A primeira, em 1890, realizada pelo governador Justo Chermont, que a transformou em Associação de Caridade; a segunda, em 1990, quando virou Fundação Estadual, no governo Hélio Gueiros, como se mantém até hoje.