Governo licencia termelétrica que produzirá energia sustentável a partir de gás natural

Usina que vai gerar energia de baixo carbono, a partir de Barcarena, abrirá 800 postos de trabalho direto e dois mil indiretos, com 30% de fornecedores locais

19/02/2021 14h27 - Atualizada em 19/02/2021 15h09
Por Anna Paula Mello (SEMAS)

Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) autorizou o início das obras de infraestrutura da usina termelétrica Novo TempoA usina termelétrica Novo Tempo, da empresa Centrais Elétricas Barcarena (Celba), localizada na Vila do Conde, região do Baixo Tocantins, ganhou nova fase neste mês de fevereiro. A licença emitida pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará (Semas-PA) autorizou o início da implantação das obras. A primeira fase da instalação foi concedida pelo Governo do Estado, no dia 3 de setembro de 2020.

A segunda fase é composta pelos módulos da usina e as turbinas que estão sendo construídas, para poder fazer com que o gás natural chegue pelo píer que foi construído na primeira fase aprovada pelo governo. A construção foi permitida a partir da análise de impactos ambientais realizada pelos técnicos da Semas.

Segundo o Coordenador de Energia, Infraestrutura, Fauna, Aquicultura e Pesca (Cinfap), Wagner Luís Cardoso “a equipe técnica da Gerência de Infraestrutura em Energia, Parcelamento do Solo e Saneamento (Gepas) da Semas, participou da análise de todas as fases do empreendimento” explica.

A usina com potência de 600 megawatts é um empreendimento de licenciamento estadual, sendo o primeiro de gás natural no Estado do Pará e contribuirá com a demanda de geração de energia elétrica do País através do Sistema Nacional de Energia do Brasil, podendo também ser revendido à indústria e empresas.

A usina de gás natural vai gerar, no primeiro momento cerca de 800 postos de trabalhos diretos e 2 mil indiretos, além disso, o projeto prevê que 30% dos fornecedores da empresa serão locais, ou seja, são empresas paraenses que irão fornecer insumos, serviços e mão-de-obra necessárias ao funcionamento do empreedimento, o que garante geração de renda e movimentação da economia paraense. 

AMBIENTE

Além dos benefícios econômicos, o Estado do Pará sai ganhando também em termos ambientais, já que a energia do combustível produzido, o gás natural, é bem menos poluente que outros combustíveis fósseis, como o carvão e o óleo, isso porque é transformada em calor por meio da sua combustão (queima), que ocorre dentro das turbinas a gás; são gerados gases a altas temperaturas e velocidades, que movimentam as turbinas, e estas por sua vez acionam os geradores onde se obtém a energia elétrica.  A oferta desse tipo de combustível é fundamental para geração de energia e pode ser aplicado para o consumo doméstico e para o fomento das indústrias da região.

As operações de testes devem começar em junho de 2024, e a comercialização da energia, até janeiro de 2025. “Viabilizar projetos dessa natureza vai ao encontro da estratégia do Governo do Estado, com o Plano Estadual Amazônia Agora, que busca elevar o Pará ao patamar de emissão líquida zero, até 2036”, acrescenta o secretário de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Mauro O`de Almeida.

O Efeito Estufa é um fenômeno natural, mas que, devido às ações do homem, com as emissões excessivas de gases, acaba elevando a temperatura global a patamares que causam alterações climáticas, com perigosos impactos à vida no planeta Terra.