Setran mantém mais de 70 equipes de manutenção em alerta nas estradas

O trabalho preventivo da Secretaria de Estado de Transportes (Setran) visa o menor impacto nas PAs neste período de intensificação das chuvas 

18/02/2021 13h30 - Atualizada em 18/02/2021 14h01
Por Kátia Aguiar (SETRAN)

Os 10 Núcleos Regionais  (NR) das regiões de Integração do Pará e núcleo central da Secretaria de Estado de Transportes (Setran), com sede em Belém, estão aptos a agir de forma rápida para restabelecer o tráfego de veículos, após cortes de estradas e queda de pontes durante o período chuvoso que se intensifica em todo o Pará nos meses de fevereiro a abril.Homens e máquinas estão a postos nas PAs para eventualidades

O trabalho preventivo feito pela Secretaria de Estado de Transportes (Setran) vai garantir que a estradas paraenses sofram menos com as fortes chuvas que se intensificam em todas as regiões do Pará. 

A equipe do 5º  NR, com sede em Marabá, está  com obras de reconstrução dos bueiros que romperam, nesta quarta-feira, 17,  no Km 27 da PA 461, próximo à  Brejo Grande do Araguaia.

A recomposição total da pista e a liberação do tráfego aos veículos deve ocorrer, no máximo, em sete dias. Foi a primeira ocorrência de rompimento de estradas estaduais desde início do período das chuvas fortes, coincidindo com marés altas, que já resultou em  cortes de estradas federais que cortam o Pará.

O trabalho preventivo feito durante os meses que antecedem o período chuvoso tem sido decisivo para amenizar os problemas com o corte de estradas.  

Equipes agem de forma célere contra os impactos das chuvas Nos primeiros meses do governo estadual, no ano de 2019, houve cortes de estrada e queda de pontes em  mais de 100 trechos das rodovias estaduais. Em 2020 esse número caiu mais de 70%, e este ano, a Setran espera ter menos problemas ainda causados pelas fortes chuvas nas PAs.

"No entanto, as equipes de conservação e manutenção estão a postos para qualquer eventualidade, agindo de forma rápida para minimizar os problemas causados pelo isolamento de cidades e até regiões inteiras”, observou Adler Silveira, titular da Setran.

Uma alternativa para não bloquear totalmente o tráfego de veículos e a abertura de desvios no trecho da estrada no período em que a via estiver em obra de reconstrução.

SERVIÇO

Como alternativa de fluxo no período que a PA-461 estiver em obras, os motoristas podem utilizar o acesso através da BR-153, para quem quiser ir para Marabá. A BR-153 interliga São Domingos do Capim a São Geraldo do Araguaia, portanto, é possível ir para Marabá. Caso esteja na PA 461 e queira ir para Brejo Grande do Araguaia, é necessário ir para São Domingos do Capim e acessar a BR-230 (Transamazônica). Em Brejo Grande, não há problemas com a pista. O acesso está em pleno estado de funcionamento.