Emater reúne produtores de açaí em intercâmbio em Igarapé-Açu

Entre as atividades, visitas técnicas e orientações sobre a condução de açaizais em terra firme, do plantio à colheita, tipo de mudas, adubação etc

18/02/2021 12h22 - Atualizada em 18/02/2021 13h30
Por Rodrigo Reis (EMATER)

A cultura do açaí em terra firme vem sendo trabalhada pela Emater junto a produtores locais de São Miguel do GuamáNa agricultura, o sistema de irrigação consiste em disponibilizar água às plantas no momento, local e quantidade corretos ao seu desenvolvimento, sendo muito utilizado em grandes plantios, como o do açaí. Nesse contexto, técnicos da Empresa de Assistência Técnica de Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) de São Miguel do Guamá, juntamente com produtores locais, participaram, nesta semana, de intercâmbio em uma propriedade modelo no município de Igarapé-Açu, na região nordeste estadual, para aprimorar e conhecer novas técnicas de irrigação.

Atualmente, o escritório local da Emater no município atende 40 agricultores que trabalham diretamente com a cultura do açaí em terra firme. Desses, 19 participaram do intercâmbio, que foi realizado na propriedade do pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental, João Tomé de Farias Neto. Ele tem 33 hectares de açaí plantados no sistema irrigado, um exemplo para outros produtores da região. 

De acordo com técnico agrícola e chefe do escritório local da Emater, Odiwaldo Silva, a proposta é implantar o mesmo sistema nas propriedades de agricultores assistidos, a fim de garantir açaí no período da entressafra. 

“Com isso, os agricultores terão açaí o ano inteiro. Nesse sentido, já vislumbramos financiamentos de projetos de crédito como o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), para estruturar as propriedades dos produtores”, afirmou Odiwaldo, da Emater. 

A safra do açaí começa em julho e vai até dezembro, período de colheita anual, em que se tem os bons frutos. A entressafra, que vai de janeiro a junho, é o período entre uma safra e outra, período em que produtor tem maior retorno financeiro, pois o valor do açaí tem um aumento significativo por ser escasso na praça.

TÉCNICAS

Durante a visita técnica, os 19 produtores acompanharam como conduzir um açaizal em terra firme desde o plantio até a colheita, tipo de mudas, quantidade de e localização das mudas na cova, adubação, espaçamento, irrigação, funções dos nutrientes, tipos de adubos e formulações.

Além do açaí, os agricultores também trabalham com pimenta do reino, mandioca, além de pecuária mista, em nível de agricultura familiar. 

O agricultor José Ferreira dos Santos Júnior, que possui uma propriedade na Vila Santo Antônio, zona rural do município de São Miguel do Guamá, recebe assistência da Emater há sete anos, especialmente para a atividade do açaí. Ele conta que aplicará, em seu plantio, algumas técnicas que aprendeu durante o encontro.

“Principalmente no que diz respeito à adubação, fator importante para um fruto de boa qualidade. A Emater sempre apresenta um leque de possibilidades para melhorar e expandir ainda mais a minha produção e o intercâmbio foi importante nesse sentido”, garantiu o produtor. 

Participaram do intercâmbio Odiwaldo Silva, chefe local; Valter Neves, técnico em agropecuária e Wildson Moraes, supervisor regional da Emater, além de Antônio José Ferreira Meireles, secretário de agricultura do município. 

O regional de São Miguel do Guamá abrange 12 municípios, que trabalham em sua maioria com mandioca, milho, arroz, soja, feijão caupi, laranja, limão, tangerina; pimenta do reino, cacau, dendê, goiaba, caju, coco, manga, cupuaçu, mamão, açaí (várzea e terra firme), Sistemas agroflorestais (SAFs), pecuária de corte (mista e leite), criação de pequenos e médios animais (apicultura, aves, suínos, caprinos, ovinos), entre outros.