Emater doa 500 mudas de banana para associação de Portel, no Marajó

Ação vai beneficiar inicialmente 250 famílias da área da Gleba Alto Camapari

16/02/2021 09h29 - Atualizada em 16/02/2021 10h17

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) está criando um pólo de produção de banana no município de Portel, arquipélago do Marajó, que beneficiará inicialmente 250 famílias da Associação dos Trabalhadores Agroextrativistas do Alto Camarapi (Atagrocamp), área da Gleba Alto Camapari. A proposta será efetivada com a implantação dos chamados Sistemas Agroflorestais (SAFs), que visa garantir a segurança e soberania alimentar com conservação ambiental às famílias envolvidas na atividade.

Dentro desse contexto, a Emater doou, a partir de articulação do regional Castanhal, 500 mudas de banana “tipo rizoma” das espécies ‘pacoua’ e ‘conquista’ para a Atagrocamp, assistida pela empresa desde 2005. As mudas são provenientes do Sítio Tolú, de Igarapé-Açu, região nordeste, propriedade que possui certificação orgânica.

As mudas foram entregues pela presidente da Emater, Cleide Amorim, na tarde de segunda (15)As mudas foram entregues pela presidente da Emater, Cleide Amorim, na tarde de segunda-feira, 15, no escritório central em Marituba, na região metropolitana de Belém. As mudas ficarão sob supervisão da equipe da Emater em um viveiro do município. A partir daí, a proposta é de que sejam multiplicadas e distribuídas, a princípio, entre 100 famílias, em ação prevista para o mês de agosto.

“Depois que receberem as mudas, a equipe técnica da Emater auxiliará os agricultores no preparo da área, abertura de covas, adubação e, por último, o plantio. Após o plantio, os agricultores vão colher os primeiros cachos da fruta entre oito e 12 meses”, afirma Jocimar Mendonça, técnico em agropecuária e chefe local de Portal.

Sistemas Agroflorestais

Os SAFs buscam a sustentabilidade da produção agrícola, o incremento da produtividade e rentabilidade no uso da terra a partir da observação dos estratos vegetais dispostos na natureza.

De acordo com o planejamento da Emater, em Portel, os SAFs serão implantados em áreas já desmatadas. Nesse sistema, o agricultor pode, inclusive, diversificar a produção.

“Orientamos sempre o agricultor sobre a importância de produzir sem precisar desmatar. Com o plantio da banana, o produtor poderá plantar outras culturas, como a batata doce e macaxeira, por exemplo, a fim de garantir produção para qualquer época do ano”, garante o técnico em agropecuária.

Stanley Melo, integrante da Atagrocamp, explica que o plantio das mudas de banana, a partir dos SAFs, vai garantir que os agricultores plantem com responsabilidade e respeito ao meio ambiente.

“Além da questão ambiental, a produção fará a diferença para a economia das famílias envolvidas, já que poderão comercializar, inclusive para a merenda escolar, a partir do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e Programa de Aquisição de Alimentos (PAA)”, explicou.

CAR EXTRATIVISTA

Em outubro de 2020, o Governo do Pará, por meio da Emater, Instituto de Terras do Pará (Iterpa) e Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), emitiram à Atagrocam o primeiro Cadastro Ambiental Rural (CAR) coletivo no âmbito do atendimento público à agricultura familiar do Pará.

As famílias ocupam mais de 70 mil hectares do entorno do Rio Camarapi e das margens da Transcametá (BR-422), onde extraem açaí nativo e produtos madeireiros, e também criam gado leiteiro e pequenos animais, principalmente, porcos e galinhas.

Por Rodrigo Reis (EMATER)