Cursos gratuitos da Cosanpa trazem chance de reinserção no mercado de trabalho

Somente neste mês de janeiro, Belém recebeu duas capacitações, além de Castanhal, Santarém e Breves

25/01/2021 10h05 - Atualizada em 25/01/2021 14h26

O autônomo Diemerson Sanches é pai de primeira viagem, mora em Ananindeua e é um dos participantes do curso gratuito de atendente de farmácia, promovido pela Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) no bairro da Marambaia, em Belém. A capacitação é um passo adiante para ele conseguir um emprego formal. “Além da situação da farmácia, estamos aprendendo sobre saúde, que vamos levar para a vida. Com a pandemia, muita gente ficou desempregado e a Cosanpa veio nos dar esse incentivo para tentar uma nova oportunidade no mercado de trabalho”, agradeceu.

A iniciativa faz parte das ações da área social da Companhia de Saneamento do Pará, com a oferta de cursos e oficinas gratuitos a moradores de áreas onde obras de saneamento estão em andamento. O objetivo é contribuir com o desenvolvimento dos moradores que irão ser atendidos com o empreendimento de água e esgoto.

“Espero conseguir um emprego logo. Como estou desempregada, quem está fazendo malabarismo em casa é o meu marido, para pagar as contas. Então, com este curso, eu vou ter uma oportunidade a mais, é como se fosse uma luz no fim do túnel”, declarou Silvana Santos, moradora do bairro do Cabanagem.

Em Belém, foram realizados, neste mês, os cursos de atendente de farmácia, nos bairros da Marambaia e do Telégrafo, por conta das obras do Complexo Bolonha e da Estação de Tratamento de Esgoto do Una. Também ocorreram oficinas de reciclagem nos municípios de Castanhal, no nordeste paraense, em Santarém, na área do Baixo Amazonas, e em Breves, na região do Marajó. Cerca de 100 pessoas foram beneficiadas com as ações sociais.

“É muito importante, porque é uma oportunidade de fazer um curso gratuito. Cursos geralmente têm custos e não são valores tão acessíveis para quem está desempregado, então é uma iniciativa válida e importante, especialmente, no momento que estamos vivendo”, disse a instrutora do curso de atendente de farmácia, Ana Paula Monteiro.

Por Tayná Horiguchi (COSANPA)