Obras e iniciativas na pandemia ampliam e valorizam a educação pública em Belém

O governo do Estado, por meio da Seduc, investe na reconstrução de escolas e em ações para garantir direitos essenciais dos estudantes

12/01/2021 18h23 - Atualizada em 12/01/2021 22h54
Por Lilian Guedes (SEDUC)

Investimentos em reconstrução de escolas, formação continuada de educadores, alimentação escolar e no processo de ensino-aprendizagem dos alunos, reforçam o compromisso do Governo do Pará com a educação. No dia em que a capital, Belém, completa 405 anos de fundação, a secretária de Estado de Educação, Elieth de Fátima Braga, frisa que o governo já viabiliza outras iniciativas na área educacional, a fim de ampliar a eficiência do ensino e propiciar ambientes de estudos adequados à comunidade escolar.

Desde janeiro de 2019, a capital recebeu dez unidades de ensino totalmente reconstruídas pelo governo, beneficiando diretamente quase 10 mil alunos da rede pública estadual de ensino, resultado de um investimento de R$ 30,7 milhões, recursos oriundos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e do Tesouro estadual.O vale-alimentação escolar é uma iniciativa do governo para garantir a alimentação dos estudantes durante a pandemia

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) também amplia o número de escolas de tempo integral em todo o território paraense. Na Região Metropolitana de Belém, 11 escolas já implantaram essa modalidade de ensino, e outras se preparam para esse avanço já em 2021.

Vale-alimentação escolar - Em decorrência da suspensão das atividades presenciais nas escolas desde março de 2020, como parte das medidas de prevenção e enfrentamento à pandemia de Covid-19, o Executivo, por meio da Seduc, adotou uma série de iniciativas para minimizar os reflexos no processo de ensino-aprendizagem, como a garantia da merenda para 576 mil estudantes, em todos os 144 municípios, por meio da concessão do vale-alimentação escolar. Entre as escolas reconstruídas e entregues na capital está a D. Pedro II, no bairro do Marco

O benefício, que oferece a cada estudante o valor de R$ 80,00, já está na 7ª recarga, que somada às outras totaliza R$ 560,00 por pessoa. Em Belém, pouco mais de 144 mil estudantes foram beneficiados com o auxílio, que pode ser utilizado na compra de gêneros alimentícios, higiene e limpeza, e outros produtos essenciais. O vale é aceito em diversos estabelecimentos comerciais credenciados.Governador Helder Barbalho durante a entrega de chips para estudantes do ensino médio que vão fazer o Enem

Chips de internet - Em outubro de 2020, o governo do Estado, via Seduc, realizou no Teatro Margarida Schivasappa, no Centur, em Belém, a cerimônia de entrega dos chips de internet móvel, com franquia de 20 GB de dados, para os alunos que estão concluindo o ensino médio.

Só na capital paraense, quase 18 mil alunos foram contemplados com essa iniciativa que, dentre outras finalidades, visa garantir o aprendizado necessário aos estudantes que vão fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, que ocorrerá nos próximos domingos (17 e 24 de janeiro). (Texto: Vinícius Leal - Ascom/Seduc).