Sejudh discute instalação de Posto de Atendimento Humanizado ao Migrante, em Breves

26/11/2020 16h37 - Atualizada em 26/11/2020 18h49
Por Gerlando Klinger (SEJUDH)

Representantes da Coordenadoria de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, Erradicação do Trabalho Escravo e Migração Segura (CTETP), vinculada à Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, estão desde o início da semana em Breves, na ilha do Marajó, realizando articulação com a rede de proteção e estabelecendo parcerias para a futura implantação do Posto Avançado de Atendimento Humanizado ao Migrante.

Depois de instalado no município marajoara, o Posto terá o objetivo de recepcionar  de forma humanizada migrantes deportados, refugiados, repatriados e não admitidos no Brasil. Recebe ainda informações sobre possíveis denúncias de pessoas que vivenciaram o tráfico ou trabalho escravo, oferecendo, conforme cada caso, um acolhimento por meio de uma rede local de atendimento, tal como já existe no Aeroporto Internacional de Belém.

A coordenadora do CETP Lorena Romão, explicou como deve ser a atuação na Ilha do Marajó. “O Posto pretende promover o atendimento humanizado e qualificado aos migrantes e pessoas que vivenciaram o tráfico de pessoas e o trabalho escravo nas microrregiões do arquipélago”, disse.

Já foram realizadas reuniões com representantes da Fundação Parápaz, Delegacia da Mulher, Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas), Conselho Tutelar e a coordenação do Núcleo Regional do Marajó da Defensoria Pública.