Policiais Civis recebem treinamento para atuação nos bairros inseridos no programa TerPaz

20/11/2020 16h23
Por Roberta Meireles (PC)

Com o objetivo de oferecer qualificação e aperfeiçoamento aos agentes, a Polícia Civil, por meio da Academia de Polícia Civil (Acadepol) em parceria com a Diretoria de Polícia Metropolitana (DPM), realizou nesta terça-feira (17) e sexta-feira (20), o Workshop de enfrentamento à criminalidade em bairros atendidos pelo programa TerPaz do Governo do Estado. 

O workshop tem o objetivo de qualificar e aperfeiçoar os agentes da Polícia Civil vinculados a Diretoria de Polícia Metropolitana para o atendimento eficiente e eficaz na repressão de atividades criminosas, cujas lotação são as seccionais dos sete bairros onde o programa está inserido, como Cremação, Marambaia, Guamá, Jurunas, Benguí, Cabanagem, Icuí-Guajará, Terra-firme e Marituba. 

Mais de 50 servidores participaram das palestras nos temas relacionados as atividades criminosas que são mais comuns dentro desses bairros, as quais foram ministraram por titulares de delegacias especializadas nos crimes de mortes violentas, roubos, violência contra a mulher, violência sexual contra criança e adolescente e perturbação de sossego público.

Para o delegado-geral, Walter Resende, a realização do workshop é muito importante em razão de estar capacitando o servidor que atua nos sete bairros onde o programa “TerPaz” foi inserido estrategicamente. “Estamos vendo resultados de forma clara constatado no monitoramento do Pará. Esse resultado é fruto de todas as ações que a segurança pública vem implementando no estado”, reforçou Walter Resende 

Segundo a delegada Fernanda Maués, diretora da Academia de Polícia Civil, “o treinamento também visa o aprimoramento da investigação e atendimento policial mais humanizado nas delegacias de bairro. Queremos continuar oferecendo todo suporte técnico para os servidores para que possamos reduzir a criminalidade e melhorar cada vez mais o atendimento nessas áreas”, ressaltou Fernanda.

Na palestra sobre Poluição Sonora como crime ambiental, o titular da Divisão Especializada em Meio Ambiente e Proteção Animal, Waldir Freire, explicou sobre toda a estrutura da Demapa para atender denúncias do crime e a punição para quem comete tais impunidades, assim como reforçou a importância da abordagem e verificação de todos os indícios desse tipo de crime pela policia civil.