Escolas da rede pública estadual disponibilizam cadernos de atividades impressas aos alunos

Os conteúdos são direcionados tanto para o processo de formação, como para o desenvolvimento do aprendizado e raciocínio lógico dos estudantes 

20/11/2020 14h53 - Atualizada em 20/11/2020 17h30
Por Lilian Guedes (SEDUC)

Mãe de duas crianças na Escola João Renato Franco, Cremação, Cleidiane Ribeiro diz que elas avançaram com cadernos de atividadesPara garantir a rotina de estudos durante o período de pandemia da Covid-19, as escolas estaduais têm realizado a entrega do caderno de atividades, impressas, para todos os níveis e modalidades de ensino como forma de assegurar a aprendizagem aos 575 mil alunos da rede estadual.

A Escola João Renato Franco, localizada no bairro da Cremação, em Belém, tem feito a distribuição rotineiramente para os alunos do ensino fundamental menor (1º ao 5º ano) em processo de alfabetização.

Cleidiane Ribeiro tem dois filhos que estudam na escola, uma menina de sete anos, no 1º ano, e um menino de oito, no 2º ano. Ela conta que no início do isolamento social o processo de aprendizagem foi difícil para os filhos, já que ambos estão na fase de alfabetização, mas com os cadernos de atividades e as videoaulas, os dois avançaram bastante na leitura e na escrita, além de melhorarem o raciocínio lógico.

“Os meus filhos estão muito bem, tanto na leitura, como no ditado, na escrita, até na memória. Nós criamos o grupo da turma no WhatsApp, para que a professora envie as atividades por lá, para eles fazerem. A minha filha tinha dificuldade para reconhecer o alfabeto, agora não tem mais e os dois já leem direitinho”, comentou a mãe Cleidiane.

Quem estiver no processo de alfabetização deve gravar vídeos lendo os textos indicados pelos professores e enviar posteriormente para que os educadores possam acompanhar o desempenho dos alunos. Essa iniciativa demonstra que mesmo com as adversidades impostas pela pandemia do novo coronavírus, esse importante passo no processo de desenvolvimento educacional das crianças está ocorrendo.

Jandira de Souza: alunos gravam e enviam leituras à professora“Eu tenho alunos do 1º ano que já leem com autonomia, isso foi uma surpresa, até fiquei emocionada, porque eles gravam e me mandam. É muito gratificante saber que eles estão se desenvolvendo conforme o nosso objetivo principal, que é a leitura e a escrita. Os cadernos nos dão esse suporte, isso mostra que a escola está fazendo alguma coisa e os alunos não ficaram sem conteúdos pedagógicos neste período de pandemia”, ressaltou a professora, Jandira de Souza.

A escola também utiliza os livros didáticos como ferramenta de aprendizagem e, além disso, montou um núcleo com as professoras para que fossem gravadas videoaulas com o intuito de dar apoio e como forma de complemento aos cadernos de atividades. As aulas gravadas previamente são enviadas no grupo de WhatsApp da turma e direcionadas principalmente para os alunos do 1º e 2º ano, que estão na fase de alfabetização.

“As videoaulas são uma base para que os alunos possam desenvolver as atividades em casa. Isso é muito importante, porque os estudantes interagem conosco e isso é um sinal de que eles estão participando, independentemente de serem crianças”, finalizou a professora, Carmem Regina Silva.Professora Carmem Silva - Videoaulas são base para os alunos

Os cadernos de atividades estruturantes são compostos por disciplinas de diversas áreas do conhecimento, como: português, matemática, ciências, artes, história e geografia, de acordo com o ano de ensino dos alunos. Os conteúdos são direcionados tanto para o processo de formação, como para o desenvolvimento do aprendizado e raciocínio lógico dos estudantes. 

A Escola Estadual Albanizia de Oliveira Lima, no bairro do Marco, também vem reforçando o ensino remoto para os estudantes do ensino médio da unidade. Para evitar a proliferação do novo coronavírus, a direção da escola organizou um calendário de entregas de atividades com horário e data marcados, por turmas, para evitar a aglomeração. Os alunos da 3ª série do ensino médio foram os primeiros a receber o material pedagógico em função do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que será realizado em janeiro de 2021.

“Fizemos um calendário de entrega para zelar pela saúde dos nossos alunos e servidores e ter a proteção necessária contra a Covid-19, evitando aglomerações. Neste sentido, a escola já tem trabalhado com as suas aulas de ‘class room’, aulas virtuais com os nossos professores, além da variedade de material oferecido pelo programa “Todos em Casa pela Educação e as aulas da TV Cultura, com o objetivo de levar educação para todos”, ressaltou o diretor da escola, Théo Queiroz. 

Na Escola Albanizia, a entrega do material é feita de maneira presencial ou online, a cada 15 dias, por meio dos pais ou responsáveis que vão até à escola na data marcada para fazer a retirada dos cadernos didáticos. Na ocasião, eles também devem entregar o caderno anterior, já com as atividades resolvidas pelos alunos, para que sejam feitas as devidas correções pelo professor. 

Serviço

A retirada pode ser feita pelo próprio aluno ou responsável na sua unidade de ensino. É obrigatório apresentar documento de identificação, comparecer com a máscara de proteção, levar caneta própria e respeitar todas as orientações dos órgãos de saúde.