Programa do Estado encaminha mais 15 jovens ao mercado de trabalho

Objetivo é gerar oportunidade para pessoas entre 14 e 24 anos que se encontram em vulnerabilidade social

20/11/2020 11h44 - Atualizada em 20/11/2020 13h08

Lançado em agosto de 2019, o Programa Primeiro Ofício tem o objetivo de gerar oportunidade de inserção no mercado de trabalho para jovens entre 14 e 24 anos que se encontram em vulnerabilidade social.

Por meio da Secretaria de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), o Governo do Estado mantém a iniciativa que visa sensibilizar empresas que usufruem de algum tipo de benefício fiscal a dedicar 30% de suas vagas do Programa Federal Jovem Aprendiz a jovens oriundos do cumprimento de medidas socioeducativas e do sistema prisional, ou que estejam em situação de vulnerabilidade social, como aqueles que moram nos bairros atendidos pelo programa estadual Territórios pela Paz (TerPaz). 

Um ano após a assinatura do termo de lançamento do programa, aproximadamente 800 jovens já foram inseridos em vagas de aprendizagem no estado do Pará. Durante a manhã de quinta-feira (19), mais 15 jovens foram contratados, desta vez pela empresa Serabi Gold, uma companhia de mineração e exploração de ouro com atividades na região geológica do Tapajós, no Pará.  

Miriquinho Batista, secretário adjunto de Trabalho e EmpregoSegundo o secretário adjunto de Trabalho e Emprego, Miriquinho Batista, esta é a primeira turma de aprendizes que foram contemplados em um contrato social. “A empresa assinou um contrato social disponibilizando esses jovens a um serviço externo, fora do ambiente da Companhia, visto à distância e a localização. Eles atuarão, junto à uma equipe de colaboradores nossos, em um serviço de telemarketing, fazendo contato com as empresas interessadas em acessar o programa Primeiro Oficio. Um trabalho essencial nessa retomada gradual de atividades”, destacou o secretário. 

Mesmo durante a pandemia de Covid-19, o Pará foi o estado que mais contratou formalmente jovens aprendizes no norte do País nos primeiros oito meses de 2020 – 3,7 mil jovens, o equivalente a quase 40% das admissões em toda a região. Os dados são do balanço divulgado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA) e baseado em dados do Ministério da Economia, segundo o novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

De acordo com a gerente de Recursos Humanos da companhia Serabi Gold, Gizelle Soraja, a iniciativa tende a incentivar os jovens paraenses ao aprimoramento de suas habilidades. "Nós estamos muito felizes em participar deste processo e de ser uma das primeiras empresas a receber o selo de Empresa Cidadã, isso nos mostra que estamos no caminho certo e que apostar na profissionalização da juventude é ter a certeza de um futuro promissor", enfatizou a gerente.

O Primeiro Ofício tem como exigência a qualificação profissional e cidadã. O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) será um dos parceiros qualificadores através da operacionalização do curso profissionalizante de assistente administrativo.  

Jhonatann Silva tem 20 anos e será um dos jovens que irá compor a nova equipe. “Eu tô muito empolgado com a oportunidade, já que é uma segunda opção de curso, fora a minha faculdade. Eu concluindo os meus estudos, além de experiência, vou ter mais esse acréscimo no currículo e mais responsabilidades também”. 

O titular da Seaster, Inocencio Gasparim, analisa mais esse passo do programa com positividade. "Eu agradeço à empresa Serabi Gold pela acolhida aos nosso jovens, pela disposição em agregar ao seu âmbito de trabalho o nosso programa. Eu volto a reforçar ao empresariado a importância em conversar e atentar a este convite, é dessa forma que colheremos bons frutos", destacou. 

Por Camila Santos (SEASTER)