TerPaz avança com oficina sobre alimentos para moradores da Cabanagem e Benguí

A capacitação, realizada pela Sedeme em parceria com a Unama, visa proporcionar conhecimento para abertura de novos negócios

18/11/2020 22h24 - Atualizada em 19/11/2020 13h00
Por Raiana Coelho (SEDEME)

O cronograma de ações no âmbito do Programa Territórios pela Paz (TerPaz), realizado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), em parceria com a Universidade da Amazônia (Unama), prosseguiu na tarde desta quarta-feira (18) com a segunda oficina sobre boas práticas de manipulação de alimentos. O público foi formado por moradores dos bairros da Cabanagem e Benguí, em Belém.

Uma das oficinas de manipulação de alimentos já oferecidas pelo TerPazErinaldo Ramos, coordenador de Projetos da Sedeme, ressaltou que a oficina era uma necessidade da população, identificada pelos parceiros que fazem parte do eixo empreendedor do TerPaz, como o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e o Sistema OCB (do segmento cooperativista), para que por meio da profissionalização fosse incentivada a abertura de novos negócios. “A gente pensou nesse curso de boas práticas pois já certifica, de alguma forma, as pessoas para iniciarem seus negócios. E a gente pensou nessa parceria com a Unama justamente por já possuir o curso de nível superior de Gastronomia, onde ela está dando essa formação básica para as pessoas aqui, hoje”, informou Erinaldo Ramos, acrescentando que outras oficinas já estão no planejamento da Secretaria, como a de manuseio do açaí.

Cabanagem e Benguí compõem o grupo de sete bairros atendidos pelo TerPaz na Região Metropolitana de Belém. O Programa, criado e implementado pelo Governo do Pará, é administrado pela Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac) com o apoio de uma câmara técnica intersetorial que envolve outros 37 órgãos.No Benguí, moradoras também passaram por oficina de fomento ao empreendedorismo

Resultados - Entre os objetivos destacam-se a diminuição da criminalidade em áreas vulneráveis e a inclusão social dos moradores. O TerPaz, em pouco mais de um ano, alcançou cerca de 60 mil atendimentos nas mais de 350 ações de políticas públicas realizadas nos territórios da Cabanagem e Benguí, além de reduzir os índices de violência em 13% e 85%, respectivamente.

“Muitos nunca tiveram a oportunidade de entrar em uma universidade, e estão podendo agora entrar num espaço da Unama para participar desse curso, ter uma capacitação que vai trazer um certificado. Isso, para eles, é como se reacendesse uma chama que estava apagada. A maioria é de pessoas com mais de 50 anos, sem o ensino fundamental completo. Então, para eles é tudo muito novo, e para a gente é gratificante poder contribuir com isso, não só para a garantia do direito de cidadania, mas também para devolver essa motivação”, ressaltou Marisa Lima, gestora do TerPaz na Cabanagem.

Já considerado uma ferramenta de transformação social, o Programa Territórios Pela Paz tem mudado, entre os moradores das áreas beneficiadas, a visão e a relação com o próprio bairro. Um exemplo dessa mudança é Socorro Meireles, 54 anos, dos quais 32 morando na Cabanagem. Já com os óculos que recebeu em uma das ações de saúde oferecidas pelo Programa, ela manifestou a satisfação de ser vista pelo Poder Público. “Agora a Cabanagem está sendo descoberta, estamos sendo acolhidos pela saúde, pelos projetos sociais, pela cultura. Agora a gente está fazendo parte do meio, fazendo parte como pessoas de direito. Isso mudou meu comportamento como pessoa, a minha forma de pensar e agir. Eu sinto que meu bairro agora foi adotado pelo governo, e eu vejo que ele tem jeito. Agora eu olho meu bairro diferente, como um lugar grande, de pessoas muito boas. Só o que faltava para nós era alguém que nos olhasse como pessoas”, enfatizou a moradora.