Com apoio da Emater, artesã confecciona ecojoias com produtos que iriam para o lixo

Os produtos são apresentados, todos os meses, na Feira Vitrine Artesanal de Produtos Agroecológicos da Emater

04/11/2020 13h39 - Atualizada em 04/11/2020 13h58
Por Rodrigo Reis (EMATER)

É no aproveitamento de bulas e caixas de remédio que a artesã Daniele Farias contribui, de forma sustentável, com o meio ambiente à sua volta: ela confecciona, com os produtos que iriam para o lixo, ecojoias como colares, brincos e pulseiras, a partir de uma técnica chamada de Quilling, que significa ‘enrolando papel’. A proposta é apresentada, mensalmente, na Feira Vitrine Artesanal de Produtos Agroecológicos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) que foca, entre outros objetivos, na capacitação e aperfeiçoamento, além da organização associativa dos artesãos.

"O apoio da Emater tem feito a diferença”, enfatiza Daniele Farias, assistida pela Emater há pouco mais de um ano. Ela conta que a técnica Quilling valoriza diferentes tamanhos, cores e formas que organizados, e moldados, formam desenhos diversos.

Daniele utiliza, em geral, palito de madeira simples, cola branca e tiras de papel. “O trabalho tem todo um contexto ambiental: nossa cidade precisa de iniciativas inovadoras, sustentáveis, e a Emater incentiva isso a partir das feiras itinerantes em que vários artesãos apresentam seus trabalhos”, comenta a confeccionadora de pulseiras, brincos, cordões e chaveiros, para todos os públicos. 

Ela explica, ainda, que depois de enrolado, o produto é mergulhado numa substância chamada termolina e, depois, finalizado com verniz. Ainda, utiliza-se tinta a base de giz de cera. A termolina é um impermeabilizante para tecidos, isopor e papel e serve para evitar o desfiamento e enrigecer os acessórios. 

Lei

Ao utilizar materiais que seriam descartados no meio ambiente, com possíveis impactos ambientais negativos, a artesã coloca em pratica alguns dos princípios da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), a Lei nº 12.305/10, que organiza hábitos de consumo sustentável e de reutilização dos resíduos.

A PNRS é um marco no setor por tratar de todos os resíduos sólidos (materiais que podem ser reciclados ou reaproveitados). 

Para Alda Remédio, engenheira agrônoma e chefe do escritório local de Marituba, na Região Metropolitana de Belém (RMB), afirma que a promoção de ações de incentivo às práticas sustentáveis é um trabalho que ela reforça diariamente junto a seus públicos atendidos. “Com as feiras da Emater, incentivamos não só os agricultores, mas também os artesãos, a propor e desenvolver atividades que estejam ligadas diretamente a esta temática, isso agrega, gera emprego e renda, além de sensibilizar a comunidade sobre a temática de aproveitamento dos resíduos sólidos”, finaliza. 

Vitrine Artesanal

Realizada mensalmente, a feira itinerante da Emater objetiva ser alternativa viável à comercialização direta de produtos e à melhoria da renda das famílias, com sustentabilidade ambiental, multiplicando técnicas artesanais e empreendedoras. As ecojoias confeccionadas pela artesã Daniele Farias podem ser adquiridas na feira Vitrine Artesanal, que será realizada de 1º a 4 de dezembro de 2020, no escritório central da Emater em Marituba.

Serviço

Interessados em conhecer as ecojoias podem conferir a feira Vitrine Artesanal

Data/Local: 1º a 4 de dezembro de 2020, no escritório central da Emater em Marituba.

Telefone: (91) 985457481.

Mais informações: Instagram - @artesanaturestore.