Corpo de Bombeiros forma militares em curso de combate a incêndios florestais

27/10/2020 11h26 - Atualizada em 27/10/2020 12h24
Por Leandro Barreto (CBM)

“As maiores dificuldades que enfrentei, assim como para os outros alunos, foi a distância da família e a adaptação pela qual tivemos que sofrer, como restrições de necessidades: alimento, água e descanso. Minha vida certamente não é mais a mesma de antes, vivi uma experiência incrível em um meio que o companheirismo é o que domina. Fui a única mulher desta edição. Fui tratada com igualdade por todos, desde a coordenação até o corpo de alunos e isso foi extremamente importante para minha evolução no curso. Voltei 5kg mais magra, com os pés extremamente machucados, mas voltei feliz e com a certeza que minha responsabilidade agora é muito maior.”

O relato emocionado é da Cabo Inês, única bombeira militar que participou do curso de Combate a Incêndio Florestal, promovido pela corporação para qualificar militares na atuação em acidentes com o meio ambiente. Ela e outros 32, participaram, na última sexta-feira (23), da formatura do curso.

A capacitação tem o objetivo de formar profissionais atuantes na área de planejamento em ações de resposta a incidentes de natureza ambiental, especificamente os que envolvem incêndios em vegetação, com enfoque para procedimentos de segurança pública, defesa civil e preservação do meio ambiente, o Corpo de Bombeiros Militar do Pará e a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, promoveram o curso de "Combate a Incêndio Florestar - CCIF - 2020".

Direcionado para Bombeiros Militares e militares do Exército e da Marinha, foi dividido em cinco disciplinas, todas voltadas às atividades de desenvolvimento técnico-científico, além de contar com profissionais especialistas da área do combate a incêndio florestal. As aulas trouxeram técnicas e inovações na atuação dos militares nas queimadas.

De acordo com o Major BM Hugo Ferreira, Comandante do 23º GBM e coordenador do curso, a capacitação trouxe para a corporação 33 novos combatentes florestais aptos para atuarem na luta contra as queimadas dentro e fora do Pará. “O curso veio para aprimorar e inovar as técnicas de combate aos incêndios florestais, para que possamos contribuir ainda mais em nossa missão de preservação do meio ambiente”, comentou.

Nas aulas práticas, que foram realizadas durantes todos os dias, os militares vivenciaram a experiência de combate a incêndios florestais, técnicas e táticas de combates nos mais diversos tipos de vegetação, todas as atividades foram relacionadas a possíveis situações do dia-a-dia.

O encerramento do curso aconteceu na Fazenda São Luiz, com apoio da Vale, e contou com as presenças do Comandante-Geral do CBMPA e Coordenador Estadual de Defesa Civil, Coronel QOBM Hayman Apolo Gomes de Souza, que enalteceu e frisou a importância da realização do curso para o Estado, que desde a primeira turma, que aconteceu no ano 2000, o qual participou como aluno, vê o quanto é “engrandecedor capacitar os militares para o combate às queimadas na nossa região”. Esteve presente, também, o Comandante Operacional do CBMPA, Coronel BM Reginaldo Pinheiro dos Santos, a Subdiretora de Ensino e Instrução, Tenente-Coronel BM Alessandra de Fátima Vasconcelos Pinheiro e demais Oficiais da Corporação.

Durante a cerimônia foram premiados os três primeiros colocados no curso, sendo eles: 1º Lugar: 2º Tenente BM Lincoln (1º GBS); 2º Lugar: 2º Tenente BM Moreira (23º GBM); e 3º Lugar Cabo BM Arthur (10º GBM).

Homenagem - Durante a cerimônia foi feito um minuto de silêncio em homenagem ao 2º Sargento Paulo Ronaldo Batista, guerreiro do fogo que dedicou 24 anos da sua vida ao Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Pará e destacou-se em sua área de trabalho, pois era um verdadeiro entusiasta contra as queimadas no Brasil. Participou na região Sudeste do estado do Pará de diversas formações de brigadas municipais de combate a incêndio florestal e atuou como imensurável baluarte em cursos de combate a incêndio. Atuou ainda fora do Edtado em grandiosas missões de combate a incêndio florestal. Faleceu vítima de morte natural, no dia 14 de abril de 2018.

O CCIF 2020 recebeu o nome do Sargento Ronaldo por se  entender que se perpetua em espírito um verdadeiro guardião das florestas. Que esse espírito seja combustível moral para os novos combatentes florestais. A esposa do militar, a senhora Silvianete Pereira, recebeu do Comandante-Geral um buquê de flores em sua homenagem.