Produtos de horta cultivada por detentos são doados a instituições assistenciais

A atividade integra o Projeto Renascer, uma das estratégias do Programa de Reinserção Social executado pela Seap

27/10/2020 01h11 - Atualizada em 27/10/2020 01h23
Por Vanessa Van Rooijen (SEAP)

Alface, couve, cebolinha, coentro e pepino são alguns dos vegetais cultivados na horta mantida por internos do Centro de Recuperação Agrícola Silvio Hall de Moura (Crashm), localizado no município de Santarém, no oeste do Pará. A atividade integra o Projeto Renascer, dentro do Programa de Reinserção Social executado pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).A horta com produção orgânica ajuda a alimentar idosos e crianças atendidos por entidades assistenciais

O cultivo é realizado há cinco meses na unidade, adotando o modelo orgânico, sem nenhum produto químico para o combate de pragas. Todos os produtos colhidos na horta são doados a instituições assistenciais do município, como o Asilo São Vicente de Paula, o Grupo de Apoio à Criança com Câncer de Santarém (Gracsan), a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e a Casa Azul, voltada a crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA).

“O trabalho dentro do sistema penitenciário tem caráter educativo e produtivo. A horta é um cultivo de rápida colheita, o que desenvolve na pessoa privada de liberdade a ideia de colher o fruto do seu trabalho. Assim, as atividades na horta do Crashm têm grande relevância na mudança de comportamento e disciplina do custodiado, que passa a enxergar o trabalho como forma de reintegração”, afirma o diretor de Reinserção Social da Seap, Belchior Machado.

O diretor do Crashm, coronel Tarcísio Costa, explica que a atividade tem ainda um papel solidário para os apenados. “Esse projeto é de suma importância para a reinserção das pessoas privadas de liberdade, haja vista que além do trabalho há a questão da solidariedade com as outras pessoas, já que eles sabem que todo o material produzido por eles será encaminhado para as instituições de caridade aqui de Santarém”, informa o diretor.