Banpará compra os nomes dos estádios do Paysandu e Remo por dois anos

Nova modalidade de patrocínio no mercado do futebol vai permitir engajamento de mercado ao banco e reforço financeiro aos clubes

22/10/2020 18h34 - Atualizada em 22/10/2020 19h17

O Governo do Estado, por meio do Banpará, comprou o direito de dar nome (Naming Rights) aos estádios do Paysandu e Remo que passam a ser chamados de Estádio Banpará Curuzu e Estádio Banpará Baenão, respectivamente. A parceria com os clubes foi efetivada no final da tarde desta quinta-feira (22), com a presença do governador Helder Barbalho, durante a assinatura do acordo comercial. O ato foi realizado no gabinete do governador, no Palácio dos Despachos, em Belém.

O valor disponibilizado para cada clube será de R$ 1,5 milhão que serão pagos em duas parcelas iguais. A primeira será paga ainda neste mês de outubro e a segunda em janeiro de 2021. Além do nome nos estádios, a parceria também prevê aplicação da marca do banco nos produtos dos clubes e inserção de marcas das equipes em produtos do Banpará, como por exemplo, em cartões bancários.

“É um importante acordo para ajudar os clubes do Remo e Paysandu. Os estádios passam a levar o nome do Banpará . Desta forma, estamos ajudando os nossos dois grandes clubes para que possam representar o Pará na Série C [do Campeonato Brasileiro] levando o nome do Estado à altura de suas torcidas. Vamos juntos cada vez mais fortalecer o nosso esporte e o nosso futebol”, anunciou Helder Barbalho.

A venda dos direitos dos nomes dos estádios e arenas ainda não é tão popular quanto nos Estados Unidos e Europa. Ainda são poucos os casos de clubes que negociam os nomes de seus estádios. Atualmente, apenas seis estádios brasileiros realizaram este tipo de acordo, são eles: Neo Química Arena (SP), Allianz Parque (SP), Itaipava Arena Fonte Nova (BA) e Itaipava Arena Pernambuco (PE), Kyocera Arena (PR) e a MRV Arena (MG)  que está em construção.

O presidente do Banpará, Braselino Silva, destaca que ação mercadológica, realizada junto ao Remo e Paysandu, tem importância comercial estratégica na aproximação da instituição financeira com os atuais e potenciais clientes. “O Banpará atrela a sua marca aos ícones do futebol paraense que são Remo e Paysandu. Também é importante o Banpará participar e auxiliar esses clubes”, explicou.

O novo patrocínio chega em um bom momento para a dupla RE-PA, que tem passado por desafios socioeconômicos por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).  O presidente do Papão, Ricardo Gluck Paul, ressalta que a importância do Estado é apoiar e auxiliar no fortalecimento do futebol paraense.

“Neste momento critico que estamos passando com relação a toda ausência de receita financeira, ausência da venda de ingressos, ou seja, toda essa imposição feita pela pandemia, o Governo consegue encontrar uma solução de mercado por meio de uma realidade que é tendência no mundo. Realmente o Governo faz um papel importante e só temos que agradecer”, disse.

O presidente do Leão Azul, Fábio Bentes, também destacou o apoio do Estado em um momento desafiador para o clube e adiantou que os recursos serão utilizados para modernização do estádio e pagamento de custeio. “Mais uma vez o Banpará e o Governo do Estado estão presentes nas horas em que os clubes mais precisam. Vamos utilizar parte do recurso para colocar iluminação no Estádio Banpará Baenão e voltar a fazer jogos noturnos”, anunciou.

Naming Rights

Naming rights é o direito aplicado à concessão da propriedade nominal de um determinado local a uma marca. Ou seja, o nome que um local, seja ele um estádio de futebol ou um estabelecimento para eventos, recebe. Exemplos no exterior não faltam. Em 2018, a Uefa tentou mapear a quantidade de naming rights que haviam no futebol europeu. Até aquele ano, 115 estádios do continente tinham cessão de nome a empresas.

Por Leonardo Nunes (SECOM)