Emater discute fortalecimento da produção de pimenta do reino no Pará

21/10/2020 14h50
Por Rodrigo Reis (EMATER)

Representantes da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) se reuniram, em Castanhal, na região nordeste, com a diretoria da Tropoc – empresa especializada em rastreabilidade, seleção, treinamento e monitoramento da pimenta do reino, para discutir e alinhar objetivos no sentido de alavancar a produção no Pará. As duas instituições possuem um Termo de Cooperação Técnica (TCT) que visa fortalecer a cadeia produtiva da pimenta do reino no Pará, especialmente os que atuam com a agricultura familiar.  

Pela Emater, um dos objetivos é desenvolver os serviços utilizando a metodologia participativa, no contexto da Política Nacional de Ater (Pnater). 

Após o encontro na sede da empresa, os representantes visitaram um projeto inovador em uma comunidade local, desenvolvido em parceria com a Embrapa Amazônia Oriental (Embrapa), Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) e Tropoc, que abriga uma pesquisa que visa o fortalecimento da cadeia produtiva da pimenta. 

O diretor técnico da Emater, Rosival Possidônio, explica que o encontro foi necessário para discutir a retomada da parceria, interrompida por conta da pandemia. “O objetivo é focar o trabalho para reforçar o apoio aos pequenos produtores que atuam com o plantio da pimenta do reino, principalmente na região nordeste paraense, que se destaca neste ramo”, enfatiza. 

Os representantes discutiram também a melhoria na qualidade da pimenta, maior inserção no mercado e o usufruo do menor preço na negociação comercial, necessários para o processo de comercialização da produção dos agricultores locais. 

Dentro do TCT, as duas instituições atuarão em três frentes: técnica, econômica e social. Nas ações, a Tropoc ficará responsável pelo fornecimento de dados, material informativo, apoio logístico, entre outros. A proposta é fortalecer ações de boas práticas de cultivo, colheita e pós-colheita do produto no Pará. 

O engenheiro agrônomo da Emater Ricardo Dohara explica que a produção da pimenta do reino envolve mais de 30 mil famílias no Estado inteiro, e que por isso a Emater tem papel fundamental no processo de fortalecimento da cadeia produtiva. “Primeiramente, vamos trabalhar com comunidades que compõem os regionais de Castanhal, São Miguel do Guamá e Tocantins. O objetivo é avançar na assistência técnica, fomento, pesquisa e tecnologia”, finaliza. 

Segundos dados da Emater, o Pará é o segundo maior produtor de pimenta do reino no Brasil, só perdendo para o Estado do Espírito Santo. As maiores produções se concentram nos municípios de Tomé-Acu, Baião, Mocajuba, Igarapé-Acu, Capitão Poço, Garrafão Norte, Nova Esperança do Piriá e Breu Branco. 

A visita contou com a presença dos diretores técnico e administrativo da Emater, Rosival Possidônio e Cláudio Pereira, respectivamente, e do diretor da Tropoc, Wivaldo Araújo.