Sejudh leva Caravana de Cidadania e Direitos Humanos a Ananindeua

Programação com a emissão de documentos pessoais e atendimentos em saúde, beleza e educação segue neste sábado (17) no Curuçambá

16/10/2020 15h50 - Atualizada em 16/10/2020 18h14
Por Gerlando Klinger (SEJUDH)

Projeto Girândola é voltado à autonomia e ao empoderamento de mulheres com o objetivo de inseri-las no mercado de trabalhoOs moradores do bairro do Curuçambá, em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, receberam nesta sexta-feira (16) uma grande Caravana de Cidadania e Direitos Humanos promovida pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do Estado do Pará (Sejudh). Entre as ações asseguradas, constavam a emissão de documentação pessoal, atendimentos nas áreas de saúde, beleza, educação e direitos sociais.

“É sempre necessário levar o olhar mais humano da gestão pública aos usuários dos nossos serviços. O Gabinete está de portas abertas para realizar uma política de integração com todos os atores do sistema. Parabenizo, em nome do secretário Alberto Teixeira, esse projeto maravilhoso”, disse na abertura do evento, a chefa de gabinete da Sejudh, Claudilene Maia, que representou o titular da Secretaria, Alberto Teixeira.

Projeto Girândola

Durante da Caravana, a Coordenadoria de Integração de Políticas para as Mulheres da Sejudh lançou o Projeto Girândola, com o tema "Caminhos para a Autonomia e Empoderamento da Mulher em Ananindeua", voltado exclusivamente a mulheres, que estão sob a guarda de medidas protetivas do Estado.

A meta do projeto é viabilizar a inserção do público feminino no mercado de trabalho, por meio da participação em projetos de economia solidária. O Girândola vai atuar em diversas cidades paraenses, como Ananindeua, Bragança, Castanhal, Marabá e Breves.

A gestora da Coordenadoria de Integração de Políticas para as Mulheres, da Sejudh, Márcia Jorge, afirmou que o mérito do projeto está na parceria entre as instituições. “Um projeto muito importante, que precisa de todos: tanto da sociedade, quanto das instituições que compõem os governos”, disse.

Ciente da oportunidade de conhecer projetos desenvolvidos para as mulheres, a moradora Mônica Oliveira levou a mãe dela, dona Nair Oliveira, de 72 anos, para conhecer o Girândola.

“O lançamento do projeto é interessante, pois têm muitas pessoas, inclusive dentro do nosso próprio seio familiar que estão em situação de violência. Quando me falam que o tema será violência contra a mulher, eu sempre procuro ir, pois melhora minha autoestima”, afirmou Mônica Oliveira.

Cidadania

À população local foram disponibilizadas, apenas neste primeiro dia de trabalhos, a emissão de 200 carteiras de identidade. Os moradores do Curuçambá foram contemplados com a nova cédula de RG, que agrega mais informações e busca dar mais praticidade ao cidadão.

De acordo com a Sejudh, a partir de agora podem ser incluídas as seguintes informações na carteira de identidade: Número de Identificação Social (NIS); Programa de Integração Social (PIS) ou do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público; Carteira Nacional de Saúde; Título de Eleitor; Documento de identidade profissional; Carteira de Trabalho e Previdência Social; Carteira Nacional de Habilitação; Certificado Militar; tipo sanguíneo e o fator Rh e nome social.

Rosiane Dias do Nascimento chegou cedo à Escola Euclides Passarinho, onde ocorria a ação, e comemorou a ida da Sejudh à comunidade. “Isso ajuda muito a população pois facilita a nossa vida, uma vez que o Curuçambá é longe do centro de Belém.”

A diretora de Cidadania e Direitos Humanos, da Secretaria, Verena Arruda, destacou a importância das políticas públicas para as mulheres, em Ananindeua, com a nova ação, afirmando que o propósito é fortalecer cada vez mais ações dirigidas ao público feminino.

"Essa é a essência da democracia e das políticas sociais. A violência contra a mulher não escolhe raça e classe, mas, sobretudo a mulher periférica, negra e que não tem independência financeira, sofre mais, e é preciso quebrar esse ciclo de violência”, disse Verena Arruda.

Em parceria com a Secretaria de Saúde de Ananindeua foram disponibilizados testes para detecção da Covid-19 e HIV. Houve ainda aferição de pressão arterial, serviços odontológicos e limpeza de pele.

O Procon contribuiu com orientação aos consumidores, e a empresa Equatorial Energia realizou a troca de lâmpadas incandescentes ou fluorescentes por luminárias de LED. As equipes ligadas à Secretaria de Assistência Social de Ananindeua realizaram cadastros a programas de benefícios sociais, e técnicos dos CRAS e do CREAS também conversaram com o público tirando dúvidas sobre demandas sociais e de saúde.

A Caravana continua neste sábado (17), na Escola Municipal Euclides Passarinho, no Curuçambá, em Ananindeua. Nas próximas semanas, será a vez dos municípios de Marituba e Benevides, também na Região Metropolitana de Belém (RMB).