Cerca de 500 mil pessoas serão beneficiadas com conclusão de rodovia

16/10/2020 14h49 - Atualizada em 16/10/2020 18h16
Por Michelle Daniel (NGTM)

Até o final deste mês, a rodovia do Tapanã, em Belém, será entregue à população. As obras executadas pelo Governo do Pará, por meio do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), estão sendo finalizadas com a instalação de novas luminárias e a sinalização (vertical e horizontal). Ao todo, são quase 5 km de via que recebeu novo sistema de drenagem, duplicação de pista, pavimentação, calçada com acessibilidade e ciclofaixa, proporcionando melhorias na mobilidade urbana e na vida de aproximadamente 500 mil pessoas.

“A rodovia melhorou em 100% em comparação ao que era. Quando mudei pra cá, há três anos, era toda esburacada, uma escuridão. A obra estava no começo ainda e num ritmo bem lento. Agora está ótima”, conta a autônoma Walena Pinheiro, de 30 anos.

A comerciante Andressa Elisa, de 22 anos, também aprova as mudanças que ocorreram na via. “Era uma rua complicada, tinha muita lama, mas agora está melhor para todo mundo, inclusive pra gente que trabalha aqui”, comenta.

As obras iniciaram em 2013, mas somente em janeiro de 2019, com a atual administração pública, o ritmo de trabalho acelerou e, em menos de dois anos, todas as etapas previstas no projeto serão concluídas. Uma das fases importantes, que deve iniciar nos próximos dias, é a preservação do meio ambiente por meio de um novo paisagismo. Serão plantadas quase 500 mudas de árvores, em ambos os sentidos, de diversas espécies, como Ipê Amarelo, Mangueira Coqueiro e outras. Além disso, a colocação de novo gramado e a instalação de um parque infantil equipado.

“Essa é uma obra cidadã extremamente importante para a mobilidade urbana de Belém. O Estado assumiu essa responsabilidade e está cumprindo seu papel. Vamos entregar para população uma nova via, por isso, contamos com o apoio das pessoas na manutenção e preservação desse patrimônio que é da sociedade para o bom uso da via, obedecendo à sinalização e regulamentação de trânsito”, destaca o engenheiro Eduardo Ribeiro, diretor-geral do NGTM.