Cerca de 60% das obras do novo sistema de água de Breves já foram concluídas 

05/10/2020 14h37 - Atualizada em 05/10/2020 16h10
Por Tayná Horiguchi (COSANPA)

No Marajó, as obras do novo sistema de abastecimento de água de Breves não pararam com a pandemia da Covid-19Quase 60% da obra do novo sistema de abastecimento de água de Breves, na ilha do Marajó, já foi concluída. Já foram construídos o reservatório elevado com capacidade de armazenamento de 870 m³ de água tratada, bloco de ancoragem da área de captação, os módulos da estação de tratamento de água, a estrutura das salas de cloração, química e de operação, além da calha parshall, dispositivo para medição da vazão da água que chegará e saíra da estação de tratamento. 

O trabalho não parou mesmo com as dificuldades enfrentadas durante a pandemia de Covid-19 por conta do transporte de equipamentos até à região. Agora, foi iniciada a construção do reservatório apoiado. A Estação de Tratamento de Água (ETA) terá oito decantadores (tanque para decantação da água), quatro floculadores (equipamento utilizado para formação de flocos) e quatro filtros (para filtração da água).

Novo sistema de abastecimento de água de Breves, no Marajó, garantirá água tratada para comunidades que nunca tiveram esse direito Após a conclusão dessas etapas, devem ser iniciadas as implantações de novas redes e novas ligações domiciliares. Ao todo serão 1.600 novas ligações para atender moradores que não tinham acesso à água tratada. A ETA fornecerá água para os antigos clientes e para os novos que estarão ligados ao novo sistema nos próximos meses. 

As obras foram retomadas em julho de 2019 pela Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), em ato que contou com a presença do governador Helder Barbalho. O projeto iniciado em 2013 ficou paralisado por anos. O investimento é de R$ 20,5 milhões para garantir a melhoria do abastecimento de água aos moradores de Breves

De acordo com o engenheiro Paul Simons, que esteve no canteiro de obras nesta segunda-feira, dia 5, os prazos tiveram que ser revistos por conta de toda a logística que teve que ser enfrentada durante a pandemia, mas a obra vai seguir em ritmo acelerado para que a população seja beneficiada o quanto antes.

“Em Breves, não temos fornecedores de materiais de construção para estruturas de saneamento, o material precisa vir de Belém, então, a logística do transporte para materiais pesados é de barco. Durante a pandemia, nos meses mais críticos, tivemos atrasos na entrega desses materiais e fomos tocando outras partes da obra que eram possíveis. Mas, não deixamos ninguém parado, pois esse projeto é de extrema importância para os moradores do Marajó e para a Cosanpa também. A previsão é que a obra seja concluída no primeiro semestre de 2021”, finalizou engenheiro Paul Simons.