Hospital Galileu realizou mais de 600 cirurgias de alongamento ósseo

Grande parte dos pacientes eram vítimas de acidentes de trânsito

26/09/2020 17h33 - Atualizada em 27/09/2020 00h18
Por Rafaela Palmieri (HPEG)

O produtor rural Manuel Muniz, de 56 anos, teve a vida transformada em agosto deste ano, após ser atropelado por uma motocicleta. O acidente aconteceu já perto de sua casa, em Abaetetuba, município no nordeste paraense. Encaminhado para o Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), unidade pública do Governo do Estado localizada em Belém, o impacto do acidente fez Manuel sofrer uma fratura no tornozelo esquerdo, causando redução em sua mobilidade.

“No trabalho, fico em pé a maior parte do tempo. Por causa do acidente, não terei como voltar no momento”, disse Manuel, que é pai de 4 filhos e precisará ficar afastado do trabalho. 

O HPEG é uma unidade de retaguarda especializada no atendimento de pacientes com traumas ortopédicos. De janeiro a agosto de 2020, o Galileu realizou 2.157 internações e 646 cirurgias de alongamento ósseo.

Os acidentes de trânsito são a origem de 80% dos casos atendidos. “As marcas são eternas”, explica Reginaldo Moura, ortopedista do HPEG. O profissional destaca a complexidade das lesões e a necessidade de internações de longo prazo, tirando a pessoa de sua vida social e econômica em muitos casos. “Recebemos pacientes com as mais variadas fraturas. Os traumas geralmente são graves e exigem uma longa internação e a recuperação é lenta”, comenta. 

Por mais que uma equipe especializada contribua para o restabelecimento completo do paciente, nem sempre vidas conseguem ser salvas. Em 2019, em média, cinco pessoas morreram a cada 60 minutos em acidentes de trânsito. O dado faz parte de um levantamento feito pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Ainda de acordo com o estudo, nos últimos dez anos, essa tragédia nas ruas e estradas já causou mais de 1,6 milhão de feridos, com um custo de quase R$ 3 bilhões para o SUS.

Os impactos na economia

Um estudo feito com base nos indicadores do seguro obrigatório de automóveis DPVAT, divulgado pela Escola Nacional de Seguros, os acidentes graves ocorridos no trânsito do país em 2017 provocaram o impacto econômico de R$ 199 bilhões. O valor corresponde a 3,04% do Produto Interno Bruto (PIB, a soma dos bens e serviços produzidos no país) e equivale ao que seria gerado pelo trabalho das vítimas, caso todos esses acidentes tivessem sido evitados.

“Após um acidente de trânsito, as implicações acometem tanto o indivíduo como a sociedade”, explica Wanessa Karla, enfermeira e coordenadora da equipe multiprofissional do HPEG. “As sequelas trazem prejuízos financeiros, familiares e profissionais, além de gastos hospitalares e aumento dos custos previdenciários para a sociedade”, conclui.

Na sexta-feira, 25, em alusão ao Dia Nacional do Trânsito, o HPEG promoveu ações e dinâmicas voltadas para a conscientização e respeito às leis de trânsito.

“De uma forma lúdica, orientamos nossos pacientes e colaboradores quanto ao cuidado no trânsito e respeito à legislação. Colaboradores foram representaram guardas de trânsito e pedestres e entregaram folhetos educativos sobre as leis de trânsito”, explica Lidiana Souza, supervisora de Humanização.