Fundação Hemopa valoriza a saúde mental do servidor 

Serviço de Atendimento à Saúde do Servidor (SASS) do Hemocentro promove rodas de conversa para o quadro funcional, com impacto positivo para seus usuários 

24/09/2020 12h40 - Atualizada em 24/09/2020 13h50
Por Anna Cristina Campos (HEMOPA)

Hemopa promove atividades para fortalecer a saúde mental dos servidores, o que impacta de forma positiva o atendimento de usuários A Fundação Hemopa, por meio do Serviço de Atendimento à Saúde do Servidor (SASS), iniciou atividades neste mês de setembro visando o cuidado com a saúde mental de servidores, o que impacta positivamente na melhoria contínua do atendimento dos usuários. 

A psicóloga Lilian Negrão realiza rodas de conversa nos setores do prédio sede sob o tema ‘Relacionamento Interpessoal: Formas Simples de Humanizar o Ambiente de Trabalho’. O objetivo é treinar a escuta sensível, o respeito às opiniões divergentes, proporcionando a integração das equipes.

Segundo a psicóloga, a dinâmica da atividade estimula a comunicação, a partilha de sentimentos, amplia e fortalece as relações interpessoais.

“É importância investir nas pessoas, fortalecer laços de confiança e de respeito, humanizando as relações entre colegas de trabalho”, destaca a psicóloga. 

Antônio da Silveira, lotado na Comissão Permanente de Licitação (CPL) gostou da atividade. “Foi bom para a reflexão sobre as necessidades de cooperação para integração dos membros do setor. E indica a harmonização do ambiente de trabalho”, disse o servidor, ansioso por mais uma rodada de conversa.  

Desde o início deste mês de setembro, mais de 40 servidores já foram beneficiados com a atividade do serviço psicológico. A intenção é levar a roda de conversa a todos os setores da Fundação Hemopa.

A equipe da Gerência de Imunologia Eritrocitária (GEMER), setor de intensa produção, também arranjou um tempo para receber a ação. “A atividade contribuiu bastante até para a gente parar um pouco esta rotina corrida e pensar um pouco de como é que aquele colega está agindo e tentar entender um pouco. Se colocar no lugar do próximo para entender o que ele está passando e ter empatia para tentar ajudar de alguma forma ou não atrapalhar”, destacou Fábio Garcia, farmacêutico bioquímico da GEMER.