Operação Cyber Care combate à pornografia infantil em Santarém

Ação contou com policiais civis da Diretoria Estadual de Combates a Crimes Cibernéticos, Núcleo de Apoio à Investigação, e peritos do Renato Chaves

23/09/2020 15h59 - Atualizada em 23/09/2020 16h47
Por Cristiani Sousa (PC)

Policiais civis da Diretoria Estadual de Combates a Crimes Cibernéticos cumprindo mandados de busca e apreensão em Santarém Nesta quarta-feira (23), policiais civis da Diretoria Estadual de Combates a Crimes Cibernéticos, cumpriram dois mandados judiciais de busca e apreensão no município de Santarém, região oeste do Pará, durante operação Cyber Care, referente a investigações sobre o compartilhamento de material pornográfico infantil. A apuração iniciou após o recebimento dos relatórios da National Center For Missing Exploited Children (NCMEC), que opera as CyberTiplines, um sistema centralizado de relatórios sobre exploração sexual de crianças em ambiente virtual.

 “A NCMEC disponibiliza informações enviadas ao programa de identificação de CyberTipline e de vítimas crianças para aplicação da lei e também usa estas informações para ajudar a identificar tendências, criar mensagens de segurança e prevenção contra crimes que atinjam as crianças, praticados em ambiente virtual'', informou Walter Resende, delegado-geral da Polícia Civil. 

Ele esclareceu ainda "que a NCMEC também trabalha com provedores de serviços eletrônicos, policiais e o público em geral, gerando um esforço conjunto para reduzir o abuso sexual infantil na rede mundial de computadores”. 

A averiguação policial culminou na identificação de dois usuários que realizavam o tráfego do conteúdo pornográfico infantil. Durante as buscas foram apreendidos telefones celulares e o disco rígido de armazenamento dos computadores, que passarão por perícia técnica para extração de dados.

Os policiais da Diretoria Estadual de Combates a Crimes Cibernéticos contaram com apoio do Núcleo de Apoio à Investigação (NAI), em Santarém, e de peritos do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves. As investigações continuam no sentido de monitorar e coibir o armazenamento e compartilhamento de material pornográfico infantil.