TerPaz discute as novas estratégias do programa com lideranças da Terra Firme

Terreno para a construção da Usina da Paz já foi definido; obras se iniciam em dezembro deste ano e a previsão é de que sejam concluídas em um ano.

22/09/2020 15h24 - Atualizada em 22/09/2020 15h53
Por Paulo Garcia (SEAC)

Raimundo Santos Junior, secretário-adjunto da Seac, explica aos representantes do TerPaz na Terra Firme as mudanças no programaMoradores que representam a Rede Local do TerPaz na Terra Firme participaram, na manhã desta terça-feira (22), de uma reunião promovida pelo corpo gestor da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac) para tratar sobre o andamento das ações no bairro.

O secretário-adjunto Raimundo Santos Junior abriu a reunião e agradeceu a parceria com os moradores da Terra Firme. “A ideia é justamente informar à população sobre as novidades do TerPaz, fazendo uma aproximação da comunidade com o projeto, de forma a integrar as lideranças comunitárias e a população a todas as atividades do TerPaz, além de atualizar a comunidade beneficiária sobre o status de implementação da Usina da Paz da Terra Firme, então é de extrema importância esses encontros com as lideranças”, ressaltou.

O coordenador do Núcleo de Relações Institucionais da Seac, Júlio Alejandro Quezada Jélves, que é responsável pela Câmara Técnica Intersetorial do TerPaz, informou que os projetos das 35 secretarias e órgãos que fazem parte do TerPaz passaram por readequações.Julio Alejandro, da Seac: projetos seguirão os objetivos da ONU

“A partir de agora, os projetos - dentro das ações do TerPaz - devem seguir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, os ODS da Organização das Nações Unidas, todas as secretarias reformularam seus projetos, como é o caso da Secretaria de Comunicação, que vai elaborar um polo de comunicação comunitária para jovens nos territórios, oferecendo cursos voltados à produção de notícias do seu próprio bairro”, disse Alejandro.

USINA DA PAZ

As representantes do Núcleo de Articulação da Cidadania, Delma Braga e Gabriella Oliveira, apresentaram o papel que o NAC desempenha no processo de execução das ações do TerPaz e um plano estratégico de levantamento sócio-espacial inicialmente no entorno do terreno da Usina da Paz.

Delma Braga explicou levantamento sócio-espacial feito pelo NACEm relação às obras da Usina da Paz na Terra Firme, o diretor das Usinas da Paz, Coronel Marcos, explicou que o local desse projeto já foi escolhido, na Rua Belo Horizonte com a Avenida Perimetral.

“Tivemos uma certa dificuldade para fechar um espaço para ser construída a Usina da Paz na Terra Firme, tentamos em vários lugares e conseguimos fechar em um terreno doado pela Eletronorte”, contou Coronel Marcos.

O terreno já passou pelas etapas de topografia e sondagem e a previsão para o início das obras é em dezembro de 2020, com prazo para entrega de 1 ano.

Para o morador Raimundo de Lima, conhecido como Mestre Rai, a obra representa um novo começo da parceria do Governo com a comunidade.

“O povo da Terra Firme já foi tão enganado por antigos governantes que, quando chega uma obra dessa para a população, a maioria fica receosa, mas eles vão perceber a seriedade que esse trabalho já está Salomão Denny, Rozineide e Mestre Rai: lideranças da Terra Firmeapresentando”, ponderou.

Rozineide Miranda, uma das lideranças da Terra Firme, disse que o programa TerPaz já está fazendo a diferença no bairro.

“Percebemos que o TerPaz atende a uma demanda da comunidade que não tinha acesso aos serviços do Governo, mas que agora ele não precisa se deslocar longe para conseguir um atendimento médico ou emitir um documento, por exemplo, esses serviços estão chegando até eles e com a Usina isso vai ser mais fácil”, disse.