Adepará celebra 18 anos de atuação em prol do desenvolvimento agropecuário

17/09/2020 17h24
Por Monique Hadad (ADEPARÁ)

Nesta quinta-feira (17), a Agência de Defesa Agropecuária do Estado (Adepará) comemora 18 anos de sua fundação. Instituída pela Lei Nº 6.482, de 17 de setembro de 2002, a Agência tem a missão de planejar e executar ações que promovam a sanidade e a qualidade da produção agropecuária, contribuindo para o desenvolvimento sustentável e competitivo do agronegócio no Estado do Pará. 

O órgão planeja, coordena, normatiza, fiscaliza e executa políticas de sanidade animal e vegetal. A atuação da Adepará se dá na atenção ao controle de qualidade, bem como de inspeção, padronização e armazenamento de produtos e subprodutos de origem animal e vegetal, cumprindo com as legislações Estadual e Federal. As medidas executadas abrangem o pequeno, o médio e o grande produtor, em todo o território do Pará, sendo essenciais para que os produtos paraenses atendam ao mercado interno e possam competir em preço e qualidade no restante do país.

Estão entre as atribuições da instituição estabelecer medidas de prevenção e monitoramento sobre as ocorrências zoofitossanitárias no Pará, exercer atividades de vigilância epidemiológica para o diagnóstico precoce de doenças e pragas, como também elaborar e propor normas legais para assegurar a sanidade animal e vegetal. 

A Adepará atende a produtores rurais dos 144 municípios do estado. Atualmente, tem em seu quadro funcional 865 servidores, sendo 716 efetivos, 106 estagiários e 43 contratados, que contribuem diretamente para o fortalecimento da agropecuária paraense. Além da sede, em Belém, o órgão conta com unidades externas. No total, são 20 gerências regionais, 62 Unidades Locais de Sanidade Agropecuária (Ulsas), 66 escritórios situados em municípios e 32 escritórios de atendimento a comunidades, localizados em distritos e vilas. Além disso, possui 21 Postos de Fiscalização Agropecuária (PFAs).

São muitos os avanços conquistados ao longo desses 18 anos de história. Pode-se destacar: o reconhecimento oficial de área livre de febre aftosa com vacinação, durante a programação da 86ª Assembleia Geral da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), em Paris, na França; a parceria com instituições estaduais e nacionais no desenvolvimento das ações de defesa e inspeção agropecuárias; a criação e manutenção da Área Live de Cancro Cítrico no Pará; o fortalecimento do Programa de Prevenção, Combate e Erradicação da Mosca da Carambola; o avanço no programa de certificação de produtos e subprodutos artesanais no Estado; o desenvolvimento de ações de conscientização junto à população paraense, promovida pela Educação Sanitária, entre outros. 

Experiência - Servidor da Adepará há 11 anos, o diretor-geral do órgão, Jamir Macedo, relata que já teve a oportunidade de atuar em uma Unidade Local de Sanidade Agropecuária (Ulsa), em gerência regional e na sede da instituição, em Belém. “Através do trabalho na Agência, pude ter a visão de quem trabalha em diferentes esferas e tive contato com diversos níveis de complexidade de atuação, podendo contribuir para que a Adepará se consolide como uma Agência forte, com o objetivo de ser referência na defesa agropecuária brasileira”, destacou.

Para o diretor-geral, é uma grande satisfação fazer parte da Agência de Defesa Agropecuária do Estado. “Me sinto muito honrado em fazer parte do grupo de servidores da Adepará. Nós desenvolvemos uma atividade de extrema relevância para a manutenção e desenvolvimento do agronegócio paraense, além de contribuir para o controle sanitário do nosso setor agropecuário”, relatou Jamir Macedo, ao agradecer e enaltecer o trabalho desenvolvido pelos técnicos da instituição.

Na visão da diretora de Defesa e Inspeção Vegetal da instituição, Lucionila Pimentel, o órgão tem um papel fundamental para o desenvolvimento do agronegócio e da cadeia produtiva da agricultura familiar. De acordo com a gestora, a Adepará se destaca “na manutenção da fitossanidade das áreas livres de citros, na cultura da soja, protegendo a fruticultura e através da erradicação, controle e monitoramento de focos da mosca da carambola. Além disso, o trabalho da Agência é essencial para a qualidade dos produtos e subprodutos de origem vegetal, por meio da certificação artesanal e da rastreabilidade implementada pela Guia de Trânsito Vegetal (GTV), garantindo a qualidade do material genético de propagação, através da regularização do comércio de sementes e mudas”.

Conforme Lucionila Pimentel, a atuação dos servidores é basilar para a construção de uma Adepará cada vez mais forte. “Com o compromisso de cada servidor, colaboramos para que o Estado do Pará seja referência de uma agricultura competitiva, sustentável e comprometida com o meio ambiente”.

O gerente regional de Altamira, André Luiz Pinheiro, é o servidor mais idoso da instituição. Ele destacou a gratidão em atuar, cotidianamente, em prol da defesa agropecuária. “O trabalho na Adepará é muito gratificante. No dia a dia, nos deparamos com as mais variadas situações. Somos responsáveis pela saúde humana, no controle zoossanitário do rebanho existente em nossa região. Promovemos também o bem-estar animal, através das vacinações e controle dos rebanhos”, afirmou.

Aprovado no concurso realizado pela Adepará em 2004, o servidor Moacir Barbosa atua na sede, em Belém. Responsável, atualmente, pela Gerência de Leite e Derivados, ele recordou os momentos vivenciados ao longo da sua trajetória na Agência. “No início, havia poucos servidores disponíveis, mas com muita disposição e vontade para que tudo desse certo, pois as dificuldades eram grandes, considerando a dimensão territorial do estado. Porém, sempre tivemos muita satisfação por participarmos das conquistas da instituição, que conseguiu ganhos importantes”, relatou Moacir, que também frisou a relevância do trabalho desempenhado pelos servidores. “Todos merecem o reconhecimento por tudo o que já fizeram e fazem pela instituição”.

Histórico - O diretor de Defesa e Inspeção Animal, Jefferson de Oliveira, define os 18 anos de atuação da Adepará como um período de “crescimento exponencial de atividades positivas conquistadas”. Jefferson recordou que a Agência iniciou como um anexo da Secretaria de Agricultura do Estado do Pará e com o objetivo de desenvolver o Programa Nacional de Erradicação de Febre Aftosa. “Neste princípio, o Estado do Pará apresentava o status sanitário de febre aftosa com alto risco, a arroba do boi era a mais baixa do país e com restrições de comercialização de animais para o resto do Brasil. Além disso, o quantitativo de bovídeos registrados no órgão oficial sanitário era de pouco mais de 13 milhões de reses”, relatou. No momento atual, esse número gira em torno de 21 milhões.

Ao longo de sua trajetória, a Adepará realizou diversas atividades agropecuárias de forma consolidada com o setor produtivo paraense, que promoveram o avanço do status sanitário da febre aftosa. “Atualmente, o estado do Pará possui área livre de febre aftosa com vacinação e com reconhecimento internacional pela Organização Mundial de Saúde Animal – OIE, em 2018. Em continuidade, apresenta o quinto maior rebanho bovídeo do país, o maior rebanho bubalino, o terceiro exportador de carne e o maior exportador de animais vivos. A agropecuária representa a segunda pauta do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado, atrás apenas da extração de minério. Então, esta representatividade do setor agropecuária no Pará foi uma vitória conjunta do setor produtivo com o setor público estadual”, complementou Jefferson de Oliveira.

O diretor destacou que a idade celebrada pela Agência hoje marca um período de transição. “Ao completar 18 anos, que ao ser humano existe a noção de mudança de uma fase da vida, ou seja, da adolescência para o início da fase adulta, a Adepará deverá realizar conquistas ainda maiores ao produtor agropecuário e ao nosso Pará”, finalizou.