Sedop avança em três frentes de obras na macrodrenagem da Bacia do Tucunduba

A segunda etapa, da Rua dos Mundurucus à Rua 2 de Junho, está em fase final, com aproximadamente 75% dos serviços executados

16/09/2020 13h10 - Atualizada em 16/09/2020 14h22
Por Giovanna Abreu (SECOM)

Morador da Terra Firme há 50 anos, o motorista Manoel Aviz atesta a qualidade da obra há décadas esperada pela comunidade“Eu não pensei que essa obra fosse sair do papel, só ouvia promessas e mais promessas. Agora é de verdade, agora vai sair. Não tem um morador que não esteja feliz e satisfeito com o serviço do Governo do Estado”, comemora Manoel Aviz, motorista de ônibus, que mora há 50 anos no bairro da Terra Firme, em Belém.

Os avanços nas obras de macrodrenagem na Bacia do Tucunduba justificam a felicidade do morador. O Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), realiza serviços em três frentes de trabalho localizadas da Rua São Domingos até a Travessa Vileta.

Segundo o secretário da Sedop, Ruy Cabral, as obras continuam avançando em um ritmo considerável. No primeiro trecho, compreendido da Rua São Domingos à Rua dos Mundurucus, 40% do cronograma já foi concluído. “O trecho exige um trabalho detalhado, com a recuperação da Estação de Tratamento de Esgoto, trabalho nas redes de água e também de esgoto, além das elevatórias”, explica.

Obras de macrodrenagem na Bacia do Tucunduba avançam e abrangem serviços essenciais nas redes de água e esgotoO segundo trecho de obras, que vai da Rua dos Mundurucus à Rua 2 de Junho, está em fase final, com aproximadamente 75% da obra executada, segundo Gilmar Mota, engenheiro da Sedop. “Estamos apenas finalizando a rede de água e esgoto da área, para realizar a aplicação da capa final de asfalto e concluir os serviços complementares que são meio-fio e calçada”, informa. A previsão é de que esse trecho da obra seja entregue até o final de 2020.

“Aqui era uma tristeza e agora está a coisa mais linda do mundo. É um paraíso. Eu ficava pensando se estaria vivo para ver essa obra pronta e, graças a Deus e ao Governo do Pará, estou aqui vendo essa obra se concretizar”, conta emocionado, Carlos Lisboa, morador há 65 anos na área compreendida pela segunda frente de obras.

O terceiro trecho de obras em andamento, que compreende a área da Rua 2 de Junho à Travessa Vileta, está em fase preliminar. Segundo o titular da Sedop, há 60 dias, foi expedida a ordem de serviço nesse trecho, por isso, encontra-se em fase inicial, com trabalhos que envolvem a topografia, retirada de interferências de redes de alta tensão, redes auxiliares de drenagem, retificação do canal.

Uma preocupação que envolve o trabalho no terceiro trecho das obras são as unidades habitacionais em situação de risco localizadas às margens do canal. O Secretário Adjunto de Gestão e Desenvolvimento Urbano da Sedop, Valdir Acatauassu, afirma que o processo de demolição das casas negociadas já está em andamento e as negociações indenizatórias estão adiantadas para concluir essa etapa.

Cronograma

O projeto de macrodrenagem contempla, além da retificação do canal, a construção de passarelas e a pavimentação da Avenida Tucunduba, que margeia o canal, garantindo melhores condições de mobilidade para toda a região atendida pelo projeto.

“É espetacular nós conseguirmos vislumbrar o término dessa obra que se arrasta desde 1997 e já foi paralisada e deixada de lado por outras gestões. Quando assumimos, não tínhamos um norte de quando terminar, hoje, com muito esforço e trabalho, temos um cronograma de entrega da obra para o final de 2022”, afirma Ruy Cabral. 

As obras vão beneficiar cerca de 230 mil pessoas e envolvem bairros como Universitário, Guamá, Terra Firme, Marco e Canudos, em Belém.

Benefícios

As obras garantirão benefícios sociais e de mobilidade à população paraense. O engenheiro da Sedop afirma que as pessoas que moravam em palafitas no leito do canal, sem nenhum saneamento, continuam sendo realocadas para unidades habitacionais ou podem optar por receber indenizações para se deslocarem para moradias mais dignas e com saneamento, o que reflete na melhora da qualidade de vida dessa população. Outro benefício é que as vias pavimentadas serão rotas de fuga de trânsito para melhorar a mobilidade da população, além da valorização dos imóveis da área.