Escola de Governança do Pará organiza arquivo, pela primeira vez, em 20 anos

Instituição moderniza-se e fez o descarte correto dos materiais inservíveis doando quase cinco mill quilos de papel à Cooperativa de Resíduos Sólidos da Amazônia (Coopcresam)

28/08/2020 13h57 - Atualizada em 28/08/2020 15h40
Por Isabela Quirino (EGPA)

Escola de Governança Pública do Pará elimina arquivos mortos e prepara setor para iniciar processo de digitalização de documentos Pela primeira vez em 20 anos a Escola de Governança Pública do Estado do Pará (EGPA) adequou seu arquivo público, efetuando uma triagem de tudo o que possuía e descartando parte do material, que não necessita de arquivamento institucional. 

“Tínhamos um depósito com muitos materiais em papel, mas não havíamos organizado de maneira efetiva o arquivo da Escola até agora”, explicou Vânia Cunha, coordenadora da secretaria acadêmica da EGPA e responsável pelo processo de descarte do material. 

Esta foi a primeira parte do trabalho, que ainda segue com a triagem dos documentos e a organização do arquivo. O objetivo é que, futuramente, a EGPA realize a digitalização deste arquivo.

“Vivemos a era da informação digital, o Governo do Pará implantou o Processo Adeministrativo Eletrônico (PAE) e nós da EGPA precisávamos reorganizar estes processos com a documentação física já existente”, destacou Evanilza Marinho, diretora geral da EGPA. 

O trabalho iniciou há dois meses e para a diretora, o benefício não é apenas à instituição, mas também ao meio ambiente. “A EGPA teve o cuidado de buscar uma cooperativa para realizar o descarte de maneira ambientalmente correta”, afirmou. 

No total, foram entregues quase cinco mil quilos de papel para a Cooperativa de Resíduos Sólidos da Amazônia (Coopcresam), dando um destino correto aos papéis e plásticos descartados pela instituição. A cooperativa trabalha em parceria com órgãos públicos, recebendo materiais como papéis, plásticos, revistas e jornais e encaminhando o material para reciclagem.