Meteorologistas da Semas preveem que o tempo deve continuar quente em agosto

Uma massa de ar seco favorece condições de céu claro, baixos índices de umidade relativa do ar e temperaturas elevadas

12/08/2020 22h06 - Atualizada em 12/08/2020 23h44
Por Anna Paula Mello (SEMAS)

A previsão climática para a segunda quinzena de agosto não é amena. Vai persistir o tempo quente e ensolarado, abafado na porção norte e seco no sul do Pará. É o que indica o boletim climático elaborado pela Rede de Previsão Climática e Hidrometeorológica (RCPH), coordenada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), em parceria com outros integrantes do RCPH - pesquisadores do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) e do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).O sol vai continuar brilhando no horizonte dos paraenses no restante de agosto

Os meteorologistas preveem que do nordeste paraense até o Baixo Amazonas, na região oeste, haverá condições propícias de tempo quente e abafado, com chuvas rápidas e isoladas entre o período da tarde e início da noite, alcançando de 50 a 150 milímetros (mm) no mês. Na Região Metropolitana de Belém (RMB) são esperadas temperaturas máximas de até 35º C, que aumentará o desconforto térmico para a população.

Na região centro-sul do Pará deve continuar o tempo ensolarado e seco, além de baixas probabilidades de chuvas. As temperaturas na região deverão ser elevadas, com máximas ultrapassando a média em até 1,5°C, principalmente no extremo sul, onde devem atingir até 38º C.

O coordenador do Núcleo de Hidrometeorologia da Semas, Saulo Carvalho, explicou que esse “cenário é decorrente da presença de uma massa de ar seco, que favorece condições de céu claro, baixos índices de umidade relativa do ar e temperaturas elevadas”. Em alguns momentos do dia, a sensação térmica é ainda maior, causando o incômodo da pele suada, que o paraense chama de “breada”.