Bebê prematuro ganha o colo do pai após perder a mãe para a Covid-19

A história do menino, que emocionou profissionais do Hospital Regional Público da Transamazônica, é considerada mais um exemplo de superação na pandemia

07/08/2020 19h27 - Atualizada em 08/08/2020 01h32
Por Karine Sued Oliveira (HRPT)

“Um presente antecipado de Dia dos Pais”. Foi com essa declaração que Edivane Fernandes, 40 anos, comemorou a alta do filho Anthony Ravi, fruto do relacionamento com Eciane Sousa, que faleceu devido à Covid-19. A alta médica do bebê Anthony foi nesta sexta-feira (7), após 19 dias de internação no Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira, unidade da rede pública estadual de saúde.

Anthony nasceu no último dia 20 de julho, em um parto de emergência, após complicações na saúde da mãe causadas pela Covid-19. Eciane deu entrada no HRPT no dia 18, aos oito meses de gestação, em estado grave. Uma cesárea de urgência foi realizada pela equipe profissional.

Hospital Regional da Transamazônica, onde a dor da perda foi transformada em esperançaO bebê foi encaminhado para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) neonatal. Depois de três dias internada, e apesar de todos os esforços assistenciais, a mãe não resistiu. Mesmo com a dor pela perda da companheira, todos os dias Edivane visitava Anthony. Ver pai e filho saindo juntos emocionou a todos no Hospital Regional.

Dia dos Pais - Vestido com uma pequena capa de super-herói, Anthony deixou o ambiente hospitalar no colo do pai. “Hoje vai ter festa em casa. Meu Dia dos Pais vai ser feliz pela presença dele”, disse Edivane.

De acordo com a pediatra do HRPT, Diana Sato, a história do menino comoveu a equipe multiprofissional responsável por todo o cuidado e acolhimento de Anthony. “Apesar da prematuridade e do baixo peso, ele teve uma evolução favorável. Realizou testes para Covid-19 e os resultados foram negativos. No meio desse sofrimento, esse bebê surgiu como um motivo de alegria para essa família e para todos nós na unidade”, afirmou a médica.