'Territórios Sustentáveis' incentiva boas práticas ambientais entre produtores rurais

Nesta semana encerra mais uma etapa do programa estadual em propriedades localizadas em municípios ao longo da PA-279

06/08/2020 18h32 - Atualizada em 06/08/2020 21h56
Por Anna Paula Mello (SEMAS)

Esta quinta-feira (6) foi dia de muito trabalho para as equipes que percorrem propriedades rurais sob a abrangência do Programa Territórios Sustentáveis, do Governo do Pará. Nessa primeira etapa, os atendimentos se concentram ao longo da Rodovia PA-279, na Região de Integração Xingu, no sudeste, especificamente nos municípios de Água Azul do Norte, Tucumã, Ourilândia do Norte e São Félix do Xingu. Participam das visitas técnicos da Emater (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural) e da Adepará (Agência de Defesa Agropecuária), além de representantes do Ideflor-bio e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).Técnicos da Emater e da Adepará, junto com representantes do Ideflor-bio e da Semas durante uma das visitas

Uma das visitas foi feita à Área de Proteção Ambiental Triunfo do Xingu, considerada uma região de grande capacidade produtiva na pecuária, extrativismo e agricultura familiar, onde há o desafio de evitar o desmatamento e manter boas práticas ambientais. Dilson Lopes, gerente do Ideflor-bio (Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Pará), explicou como funciona na prática esse apoio ao produtor: “Nós fazemos a recomposição de áreas com sistemas agroflorestais. Aquele produtor que tem uma área degrada vai conseguir, com o nosso apoio, recuperar a vegetação e a produtividade”.

“Amazônia Agora” - O Programa Territórios Sustentáveis é um dos pilares da macroestratégia do Programa Amazônia Agora, lançado pelo governo do Estado sob a coordenação da Semas, que tem o objetivo de prevenir crimes ambientais e aumentar a produtividade no interior do Pará de maneira sustentável.As orientações chegam a produtores da área de abrangência da PA-279, no sudeste paraense

O “Territórios Sustentáveis” não é voltado apenas para pequenos produtores. Manoel Lemos, por exemplo, é proprietário da Fazenda Maringá, na área rural de São Félix do Xingu, que tem quase 6 mil hectares e mais de 7 mil cabeças de gado. Ele costuma vender os animais para frigoríficos da região, que exportam para a China. Atuar em grandes mercados exige certificação e controle ambiental, exigências cada vez mais comuns no mercado internacional. Por isso, ele acredita que o TS pode ajudar o produtor. “Nesse projeto, o apoio técnico é importante para intensificação de área, aumento da produção e da lotação do gado. Outra coisa é que, às vezes, esse processo de regularização fundiária pode ser muito demorado e, nesse caso, vai ter mais agilidade. Na questão ambiental, às vezes sofremos muita cobrança, mas nem sempre sabemos o que é certo fazer. Com o projeto, a gente vai ter esse apoio”, disse o pecuarista.

As visitas aos produtores rurais terminam nesta sexta-feira (7), com o objetivo de sensibilizar os trabalhadores do campo sobre a importância da iniciativa. As inscrições para o programa continuam nos polos da Adepará e Emater, em São Félix do Xingu, e no site da Semas (www.semas.pa.gov.br).