Semana de Aleitamento Materno abordará impactos no meio ambiente

Programação organizada pela Sespa e parceiros terá a maioria das atividades por meio virtual

01/08/2020 08h29
Por Mozart Lira (SESPA)

Recomendação é que os bebês recebam exclusivamente o leite da mãe durante os primeiros seis meses de vidaCelebrada anualmente de 1º a 7 de agosto, a Semana Mundial do Aleitamento Materno (SMAM 2020) vai promover a importância da amamentação para o meio ambiente com o tema “Apoie a amamentação para um planeta mais saudável”. A campanha se amplia para todo o mês, no “Agosto Dourado”, dedicado à intensificação das ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento.

A exemplo do que vem ocorrendo em todo o mundo, a programação organizada pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e parceiros terá a maioria das atividades por meio virtual, através da plataforma Google Meet, com a proposta de divulgar as reflexões sobre o aleitamento como um ato ecológico.

“O leite materno é um alimento ambientalmente seguro e ecológico, produzido e consumido pelo bebê com o mínimo de poluição e sem qualquer tipo de embalagem”, explica a coordenadora de Saúde da Criança da Sespa, Ana Cristina Guzzo. Entre os benefícios ao meio ambiente está a diminuição da contaminação da água e do solo pela redução do lixo gerado pelas latas de leite, plásticos das mamadeiras e bicos de borracha, que são materiais com decomposição lenta.

Ana Cristina Guzzo, coordenadora de Saúde da Criança da SespaDesse modo, o tema está alinhado com os 17 objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), uma agenda fixada pela Organização das Nações Unidas (ONU) a ser implementada em todos os países até 2030, em que um dos tópicos destaca os vínculos entre a amamentação e a mudança climática. Segundo Ana Guzzo, o leite materno é considerado o alimento mais completo para o bebê. Nele, estão contidos todos os nutrientes necessários para o melhor desenvolvimento da criança, diminuindo a ocorrência de diarreias e infecções, principais causas de morte infantil.

Benefícios - Ao mesmo tempo, o aleitamento traz inúmeros benefícios à saúde da mulher, como a redução das chances de desenvolver câncer de mama e de útero. A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde é que os bebês recebam exclusivamente o leite da mãe durante os primeiros seis meses de vida.

Estima-se que o aleitamento materno seja capaz de diminuir em até 13% a morte de crianças menores de 5 anos em todo o mundo, por causas preveníveis. Nenhuma outra estratégia isolada alcança o impacto que a amamentação tem na redução das mortes de crianças nessa faixa etária.

Alternativas - Os dados do Pará remetem à segunda Pesquisa de Prevalência de Aleitamento Materno nas Capitais Brasileiras e Distrito Federal, de 2008, o qual apontou que o tempo médio, de amamentação em crianças menores de 6 meses no Estado era de 88,8 dias, sendo maior que a média nacional, cujo percentual era de 54,1 ao dia. Os números colocaram ainda Belém como a capital que mais amamenta no Brasil: 56% entre nascidos vivos.

Esse desempenho resulta de um histórico de trabalho do Estado, que há mais de 30 anos desenvolveu e vem promovendo a implantação do Programa de Apoio ao Aleitamento Materno (Proame) nos 144 municípios, além da criação dos bancos de leite humano, hoje implantados em Belém, na Santa Casa; em Marituba, no Hospital Divina Providência; em Bragança, no Hospital Santo Antônio Maria Zaccaria; e em Marabá, no Hospital Municipal – todos certificados com classificação na Categoria Ouro da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano e com apoio do Corpo de Bombeiros, por meio do projeto “Bombeiros da Vida”.

Na quinta-feira (6), acontece no auditório da Santa Casa o seminário “Apoie o aleitamento materno por um planeta saudável”

A performance positiva do Pará em relação aos bons índices de aleitamento materno também está associada à iniciativa Hospital Amigo da Criança, título conquistado por 10 hospitais localizados no Estado: Hospital de Clínicas Gaspar Vianna, Santa Casa, Ordem Terceira e Beneficente Portuguesa, em Belém; Anita Gerosa, em Ananindeua; Divina Providência, em Marituba; Santo Antônio Maria Zaccaria, Hospital de Clínicas e Hospital Geral, de Bragança, e Hospital Santo Antônio, de Alenquer.

Programação

Pela plataforma Google Meet, técnicos da Sespa estarão articulados com vários seminários e eventos alusivos à SMAM 2020 realizados por entidades parceiras à causa da amamentação. Realizado pela Sociedade Paraense de Pediatria (SOPAPE), o primeiro deles ocorrerá na quarta-feira (5), de 14 às 16 horas, pelo acesso (meet.google.com/dat-svna-dvq) com o relato de experiência e roda de conversa sobre as memórias da criação do Proame e do manual de aleitamento materno exclusivo no Estado. A mediação será feita pela médica pediatra Vilma Hutim, da Santa Casa de Misericórdia e atual presidente da SOPAPE.

Na quinta-feira (6), de 09 às 11 horas, acontece no auditório da Santa Casa o seminário “Apoie o aleitamento materno por um planeta saudável”, com a apresentação da Comissão de Aleitamento Materno e Doação de Leite Humano e o lançamento da Gincana de Doação de Frascos e captação de doadoras, campanha que seguirá até 09 de setembro.

No dia 06, de 14 às 16 horas, também pela SOPAPE, acontece a Roda de Conversa “Aleitamento materno: necessidade desde o nascimento até aos dois anos de idade”, com temas a serem abordados por profissionais da Sespa, Santa Casa e de Hospitais privados. A transmissão será feita pelo endereço: meet.google.com/dat-svna-dvq.

Também no dia 06, de 14 às 15h30, a ser realizado pela Sespa, acontece a roda de conversa “Guia alimentar para crianças brasileiras menores de dois anos”, pelo link meet.google.com/okt-qdsz-zpc com participação de técnicas da Secretaria e da Coordenação Geral de Alimentação e Nutrição (CGAN), do Ministério da Saúde.

Na sexta-feira (7), sob realização da Santa Casa e com participação de técnicos da Sespa, acontece o webinar “Apoiar a amamentação no contexto da pandemia da Covid-19”, tendo como moderadoras Cynara Melo e Vanda Marvão, integrantes do Banco de Leite Humano da Santa Casa. O link para acesso ainda será divulgado.

No dia 14, de 10 às 12 horas, pelo acesso https//meet.google.com/bhz-vdtv-rmi acontece outro momento do seminário “Apoie o aleitamento materno por um planeta saudável”, desta vez com a pediatra Keiko Teruya, integrante do Departamento de Aleitamento Materno da Sociedade Paulista de Pediatria e do Comitê de Aleitamento Materno da Sociedade Brasileira de Pediatria, com mediação de Ana Cristina Guzzo.