Escola de Governança reestrutura cursos livres para servidores públicos

Aulas que anteriormente eram realizadas de modo presencial, serão executadas no formato remoto

29/07/2020 11h45
Por Isabela Quirino (EGPA)

Novo formato: na próxima semana serão abertas as inscrições para as primeiras turmas remotas da EGPAProcurando se adequar ao cenário atual, a Escola de Governança Pública do Estado do Pará (EGPA) está se reestruturando para cumprir seu planejamento referente aos cursos livres disponíveis para os servidores públicos do estado. A ideia é que as aulas anteriormente realizadas de modo presencial sejam executadas no formato remoto. Na próxima semana serão abertas as inscrições para as primeiras turmas remotas da EGPA. 

Diferente do Ensino a Distância, modalidade também ofertada pela EGPA, que tem aulas gravadas e com tempo que se organiza de acordo com o usuário, as aulas remotas são realizadas em tempo real, em um horário determinado e com o professor presente, semelhante ao ensino presencial, mudando apenas o modelo pedagógico de aula, que no remoto utiliza plataformas online. Os servidores que participarem terão a contagem de frequência normalmente, tendo que alcançar 75%, além de monitoramento do coordenador de curso. 

“Vamos continuar ofertando os cursos em EaD na EGPA, mas também abrimos a possibilidade desta simulação de aulas presenciais, com as aulas remotas. Serão aulas no mesmo período e carga horária das aulas presenciais, mas com uma plataforma de ensino online, para manter o distanciamento social”, explicou Luciana Ferreira, coordenadora da Coordenadoria de Desenvolvimento de Competências e Habilidades Profissionais em Governança Pública (CDHP).

A reestruturação da CDHP da EGPA não foi apenas ao formato de aula. A Escola, ao longo do primeiro semestre, em que as aulas presenciais estiveram suspensas, desenvolveu um novo desenho institucional e acadêmico de cursos e forma de atuação, apresentando onze áreas de atuação da EGPA, que integram todas as ações e demandas nos diversos segmentos relacionados à proposta da educação continuada, além de programas formativos dentro de cada área, com cinco cursos de destaque, compondo 100 horas aula e disponibilizando ao servidor público um certificado de formação complementar. 

“A grande novidade é que a partir do processo de reestruturação, adequamos programas formativos dentro de cada área, que garantem uma formação continuada para o servidor. Além disso, agilizamos a localização do material e a organização do servidor sobre seu processo formativo dentro da educação corporativa”, disse Luciana.

As áreas de atuação e programas formativos foram desenvolvidos com base no histórico de cursos da EGPA, na pesquisa de Levantamento de Necessidades de Capacitação realizada em 2019 com todos os órgãos do Estado e no Programa de Governo que orienta a organização da atuação governamental.

As áreas que compõe os cursos livres da Escola de Governança são: Gestão Estratégica e Liderança; Gestão de Pessoas e Qualidade do Trabalho; Governança; Gestão Financeira e Orçamento Público; Desenvolvimento da Educação; Assistência Social e Saúde; Infraestrutura, Logística e Serviços; Jurídico Institucional e Complace; Turismo, Hospitalidade, Lazer e Cultura; Informação, Tecnologias e Inovação; Controle, Processos e Avaliação de Resultados; Meio ambiente e Sustentabilidade.

A próxima etapa da reestruturação é a contratação de professores conteudistas, para reorganização do desenho dos cursos do portfólio da EGPA. Além disso, a CDHP da EGPA também se prepara para trabalhar com palestras em formato remoto, relacionadas às onze áreas de atuação estabelecidas durante o processo de readequação.