Em 10 municípios, Estado entrega 200 kits de higiene e alimentação para famílias circenses

Em parceria com a iniciativa privada, o Governo do Pará auxilia famílias que não podem trabalhar durante a pandemia

10/07/2020 19h26 - Atualizada em 11/07/2020 01h11
Por Ronan Frias (COHAB)

O Governo do Pará entregou, nesta sexta-feira (10), 200 kits com alimentos e produtos de higiene e limpeza para produtores culturais do Estado. A iniciativa é voltada para a assistência familiar durante a pandemia de Covid-19. A ação foi realizada em 10 municípios: Barcarena, Acará, Marituba, Benevides, Santo Antônio do Tauá, São Caetano de Odivelas, Castanhal, São Francisco, Igarapé-Açu e Nova Timboteua.A entrega dos alimentos, doados pela iniciativa privada, ajudou várias famílias de artistas de circo

Para o ouvidor-geral do Estado, Arthur Houat Souza, a distribuição voltada ao setor artístico é importante porque "está sendo entregue para quem está em situação de vulnerabilidade social por ter perdido a renda nesse período de pandemia".

A primeira cidade a receber a iniciativa foi Santo Antônio do Tauá. Os primeiros atendidos foram os trabalhadores do circo Multi Show. O artista circense Luis Novaes contou que a movimentação de público diminuiu cada vez mais com o avanço da Covid-19 e que, por isso, a ajuda veio em um momento necessário.A entrega dos kits de alimentos faz parte do enfrentamento aos efeitos da pandemia de Covid-19

"As pessoas pararam de vir para os espetáculos. Então, a gente ficou sem ter como conseguir nosso sustento. Agradeço muito essa ajuda, que trouxe comida pra minha família", afirmou Luís Novaes.

A equilibrista Idaildes Novaes já percorreu o Pará levando alegria para as regiões por onde passou. A felicidade retornou ao ver o gesto de solidariedade vindo pelas doações feitas pelo Estado. "Meu coração agora tá feliz. Essa doação veio em boa hora", garantiu.

Ansiedade do público - A ação atendeu 22 pessoas que trabalham no circo Mega Show em São Caetano de Odivelas. A estrutura, montada há cinco meses, ainda não recebeu plateia por conta da restrições impostas pela pandemia. 

A pandemia fechou os circos e afastou o público da magia dos espetáculosSem saber ainda quando vai voltar a se apresentar, a trapezista Cilene Costa disse que a ansiedade não é apenas dos profissionais. "Todos os dias os moradores perguntam quando a gente vai abrir, e nós não sabemos ainda. Sem pode fazer show, a situação ficou apertada", acrescentou.

Para realizar as ações, o governo do Estado contou com o apoio da iniciativa privada. "Nós entregamos hoje os alimentos e produtos que foram doados pela Equatorial (concessionária de energia elétrica) e pelo Sinduscon (Sindicato da Indústria da Construção do Estado do Pará). Agradecemos o apoio nesse momento", frisou Arthur Houat Souza.