Espaço Acolher da Santa Casa recebe computadores e materiais escolares

Doações foram feitas por empresa e cooperativa de praticagem por meio da Capitania dos Portos Amazônia Oriental

08/07/2020 15h58 - Atualizada em 08/07/2020 16h36
Por Etiene Andrade (SANTA CASA)

Os pacientes atendidos no Espaço Acolher, da Fundação Santa Casa de Misericórdia, tiveram uma grata surpresa nesta quarta-feira (8). O local recebeu computadores e material escolar doados por empresas e uma cooperativa de praticagem por meio da Capitania dos Portos Amazônia Oriental. 

Os computadores e o material escolar serão usados nas atividades da Classe Hospitalar da Seduc, que atende pacientes com longa permanência no Espaço. Também, em outras atividades desenvolvidas pela equipe multiprofissional da Santa Casa, voltadas ao público assistido, como as vítimas de escalpelamento e pacientes em outros atendimentos. Capitão dos Portos, comandante Manoel Pinho participou da ação

As doações foram realizadas pela empresa de praticagem Pará Liver Pilot e pela cooperativa de práticos Unipilot, por meio da Capitania dos Portos Amazônia Oriental. Diretor da Pará Liver Pilot, Marcelo Salgado destaca o caráter de utilidade das doações.

“Nós procuramos a Capitania dos Portos que nos indicou o Espaço Acolher para a doação. Nós já tínhamos ouvido falar do trabalho, mas eu fiquei impressionado ao conhecer de perto e ver que atendimento incrível é feito com os pacientes. E a gente acredita que não é só doar, a gente pensa em suprir uma necessidade com algo que seja realmente útil para a instituição que recebe.”, afirma Salgado.

Natural de Portel, no Marajó, Carliane Moraes, de 18 anos, sofreu um acidente de escalpelamento aos oito anos de idade. Ela foi alfabetizada no Espaço Acolher, hoje cursa o 8º ano e reconhece o valor das contribuições.

Grupo de professoras da Classe Hospitalar da Seduc“Eu acho muito importante porque a gente vem fazer cirurgia e tem que estudar aqui e às vezes a gente não tem condições de comprar o material escolar”, conta a Carliane Moraes.

Para Alice Gomes, de 21 anos, escalpelada aos 12 anos em Bagre, os computadores vão ajudar na formação superior que ela, em meios aos desafios do tratamento, conseguiu alcançar.

“Eu faço cirurgia reparadora porque tive perda de parte do rosto, e preciso ficar até seis meses direto aqui no Espaço Acolher. Com as aulas da classe hospitalar eu consegui continuar estudando e hoje curso o segundo ano de Serviço Social. Receber um computador desse é maravilhoso, pois vai nos ajudar nas pesquisas e a gente também vai poder se distrair um pouco”, admitiu Alice Gomes.

As doações para Espaço Acolher foram viabilizadas por meio de uma parceria das empresas de praticagem com a Capitania dos Portos. Psicóloga do Espaço Acolher da Santa Casa, Jureuda Guerra ressaltou que “o Estado cumpre sua função, com a Santa Casa dando o amparo para o atendimento às vítimas de escalpelamento, mas é muito positivo ver que a iniciativa privada entenda que também pode contribuir e com doações que realmente vão ser úteis para as pacientes.”.

Capitão do Portos, comandante Manoel Pinho ressaltou que a ações como essa doação mostram à sociedade a importância das parcerias e do trabalho desenvolvido no Espaço Acolher.

“A Marinha já faz parte da Comissão Estadual de Combate ao Escalpelamento e a Santa Casa e o Espaço Acolher são nossos parceiros. Com essa ação nós conseguimos aproximar mais a comunidade aquaviária, praticagem e Marinha para que eles possam conhecer mais as ações do Espaço Acolher e possam junto conosco dar apoio a esse trabalho.”, ponderou o comandante Manoel Pinho, que intermediou as doações. 

Há mais de 10 anos a Capitania dos Portos também atua em ações preventivas contra acidente de escalpelamento. São iniciativas de palestras em escolas e de doação da cobertura de eixos das embarcações. Os proprietários de barcos que ainda não possuem o protetor, podem entrar em contato com a Capitania dos Portos através do telefone (91) 99114.9187.