Servidores do Ophir Loyola participam de Caravana Solidária

Iniciativa contribui para abastecer o estoque do Hemopa responsável por atender mais de 200 hospitais públicos e privados na rede hospitalar

08/07/2020 15h34 - Atualizada em 08/07/2020 15h58
Por Leila Cruz (HOL)

O compromisso com a solidariedade motivou nesta quarta-feira (8) a participação dos servidores do Hospital Ophir Loyola na Caravana Solidária de doação de sangue da Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa). Essa é uma das estratégias em curso para abastecer o estoque do hemocentro que atende mais de 200 hospitais públicos e privados na rede hospitalar.

Servidores do Hospital Ophir Loyola doaram sangue nesta quarta-feira (08) e pediram maior sensibilidade das pessoas para a doaçãoReferência no tratamento do câncer, neurocirurgia e transplantes, o hospital tem uma das maiores demandas estaduais por transfusão. Em média, realiza 900 transfusões por mês, no entanto, entre as pessoas, em geral, ainda persiste o hábito de doar somente para conhecidos ou parentes. Uma cultura que dificulta a reposição do estoque por parte do HOL junto ao Hemopa em razão da maioria dos pacientes internados não possuírem conhecidos na capital paraense. 

Os pacientes oncohematológicos, geralmente, são os que mais necessitam. A enfermeira da Agência Transfusional do Hospital, Leonice Carvalho, explica que existe uma necessidade muito acentuada por hemocomponentes, como hemácias, plaquetas ou plasma.

Enfermeira Zilma Albuquerque do Ophir Loyola já é doadora A equipe do hospital, pontua a enfermeira Leonice, busca ajudar o Hemopa que atende com esmero as solicitações do Ophir Loyola. “Os maiores consumidores de sangue são aqueles acometidos por doenças linfáticas malignas, principalmente a leucemia, doença originada na medula óssea que atinge as células sanguíneas chamadas de leucócitos e impede o funcionamento normal do organismo. A participação dos servidores é imprescindível para abraçar a causa e atender a demanda dos pacientes, principalmente devido à pandemia da Covid-19”, afirma.

Zilma Albuquerque é enfermeira do Centro de Terapia Intensiva, ela já era doadora e gostou de participar da caravana. “Gosto de ajudar as pessoas, conheço a realidade do volume de transfusão da instituição para dar continuidade ao tratamento dos nosso usuários. As cirurgias e outros procedimentos importantes somente acontecem com bolsas de sangue, então a população precisa ser sensibilizada sobre o ato da doação”, esclarece.

Esse mesmo sentimento de empatia com o próximo levou o assistente administrativo, Luiz Carlos Carvalho, a assumir o compromisso da solidariedade. “Eu já estive na posição de quem precisa, mobilizei vários amigos em prol da saúde da minha filha. O gesto de cada um deles ajudou na recuperação dela. Um dia precisei e pessoas bondosas me ajudaram. Hoje, sou eu quem ajuda e sei que posso salvar até quatro vidas com a minha doação”, disse.Assistente Luiz Carlos do Ophir Loyola já precisou e hoje retribuiu

MAIS SOBRE DOAR SANGUE

É preciso ter entre 16 e 69 anos (menores devem estar acompanhados do responsável legal), ter mais de 50 kg, estar bem de saúde e portar documento de identificação oficial, original e com foto.

SERVIÇO

As doações de sangue também podem ser feitas no Hemocentro Coordenador e na Estação de Coleta Castanheira, de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h30, e aos sábados, de 7h30 às 17h.

Há ainda a Estação de Coleta Pátio Belém que funciona de segunda a sexta-feira de 10h às 17h.

Mais informações: 08002808118 ou 3110-6500.