Professores da ‘Acácio Sobral’ visitam alunos para atenuar distância

Com aulas suspensas devido à pandemia de Covid-19, educadores se esforçam para se manter próximos de estudantes e motivá-los a seguir rotina de estudos

08/07/2020 12h05 - Atualizada em 08/07/2020 13h04
Por Leidemar Oliveira (DETRAN)

Um grupo de professores da Escola Estadual Acácio Felício Sobral, no bairro de Canudos, em Belém, encontrou uma forma de amenizar o distanciamento dos alunos nesse período de suspensão das aulas presenciais. Os docentes criaram o projeto “Você importa, se cuide, fique bem, nos veremos em breve na Escola Acácio Sobral”. 

Professora Suanne Araújo e colegas vão às casas de seus alunos para demonstrar afeto e fortalecer os laços da comunidade escolarDuas vezes na semana a equipe sai pelas ruas dos bairros de Canudos e Terra Firme visitando cerca de 15 alunos. A visita é combinada previamente com os pais sem que a criança saiba. Na chegada, entregam um kit com lanche e atividades de incentivo à leitura para que os alunos realizem nesse período de quarentena.

A professora Suanne Araújo é uma das responsáveis pelo projeto. “Foi uma forma que a gente encontrou de amenizar um pouco a saudade, de ir ao encontro deles, ofertando um presente, agregando noção de higiene, leitura e território”, explica. 

O retorno das atividades pedagógicas é monitorado por grupos criados no aplicativo Whatsapp. “Criamos o grupo para acompanhar o retorno das atividades e a progressão dos alunos. O que percebemos é que a maioria deles recebe bem a proposta e resolve os exercícios. É mais uma forma de mantermos o contato com nossos alunos”, completa o diretor da Escola Acácio Sobral, Salin Souza.Os estudantes recebem kits com lanches e atividades de incentivo

Os professores que participam da visita respeitam todas as normas e orientações indicadas pela Organização Mundial de Saúde, como o uso de máscaras e o distanciamento social. A equipe é reforçada pelos ex-alunos Jonatha Costa e Arley de Souza que encontraram no projeto uma forma de agradecer por tudo que alcançaram na vida com a ajuda da escola. 

Ontem (7) foi a vez das crianças da educação especial reverem os professores mais queridos. A reação dos alunos é emocionante e repleta de manifestações de carinho. O Enzo Gonzada, de 14 anos, não escondeu a alegria do reencontro. Com a voz trêmula e ainda meio embargada pela emoção, ele agradeceu a lembrança dos professores. “Ficar em casa é chato, sinto falta da escola e das aulas, não esperava essa surpresa”, comentou.

O Enzo Gonzada, de 14 anos, se surpreendeu ao receber a visita de seus professores e agradeceu visivelmente emocionadoO aluno do 7º ano do Ensino Fundamental, Alexandre Souza, é autista e é na escola que ele tem sido incentivado a desenvolver ideias de origami. Ao rever os professores correu para encontrá-los e para mostrar os trabalhos que tem feito durante o isolamento social. A mãe, Vanda Silva, não conseguiu esconder as lágrimas ao ver a alegria do filho em reencontrar os professores.

“Estou muito emocionada, essa visita mostra o calor da escola em se importar com o meu filho que é sempre muito acolhido por todos de lá”, declarou Vanda.