Doutorado em Ciências Ambientais da Uepa é aprovado pela Capes

Edital está previsto para outubro deste ano. A prova escrita deve ocorrer em janeiro e o início das aulas em março de 2021

06/07/2020 18h36 - Atualizada em 06/07/2020 19h20
Por Nailana Thiely (UEPA)

A Universidade do Estado do Pará (Uepa) aprovou um novo curso de pós-graduação strictu sensu junto à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O doutorado em Ciências Ambientais é o primeiro ofertado pelo Centro de Ciências Naturais e Tecnologia (CCNT) e tem edital previsto para outubro deste ano. A prova escrita deve ocorrer em janeiro e o início das aulas em março de 2021.

As atividades serão realizadas nas dependências do CCNT da Uepa, em Belém, com tempo máximo de conclusão de quatro anos. São duas linhas de pesquisa: Meio Ambiente e Sustentabilidade e Estudos dos Ecossistemas Amazônicos. O foco do programa é interdisciplinar, e se destina aos egressos de programas de mestrado em qualquer área do conhecimento, desde que o projeto tenha uma vertente ambiental.

O objetivo do novo doutorado é promover estudos interdisciplinares voltados para o desenvolvimento sustentável da Amazônia, em aspectos que envolvam os ecossistemas amazônicos, conhecimento tradicional, recursos naturais, processos antrópicos, avaliação de impactos, monitoramento ambiental, emprego de tecnologias, educação e saúde, e suas relações com os processos dinâmicos do bioma Amazônia.

Para a diretora do CCNT, Eliane Coutinho, o curso atende demandas de pesquisas acadêmicas em ciência, tecnologia e inovação produzidas em território amazônico. “As questões ambientais da Amazônia, sobretudo em contexto atual, são urgentes e a oferta deste doutorado busca destacar as pesquisas nesta área, com a formação de pesquisadores locais, dando continuidade ao que era proposto no mestrado”, comenta.

O programa também visa promover a conexão entre o saber acadêmico e as realidades sociais, permitindo que os resultados gerados a partir dessas pesquisas beneficiem tanto a população, quanto o setor produtivo, respeitando as realidades distintas dos ambientes amazônicos. 

Para o coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA), professor doutor Altem Pontes, o doutorado soma esforços acadêmicos de vários anos e reafirma o protagonismo na produção do conhecimento científico sobre a região Amazônica. Segundo ele, o diferencial é que o curso nasce a partir de uma experiência de dez anos de um programa de mestrado na mesma área.

"Em termos acadêmicos, o doutorado vai ampliar a possibilidade de formação de egressos de mestrado. Em termos científicos, vai ampliar as pesquisas sobre a Amazônia e gerar resultados que podem ser empregados como políticas públicas e privadas. Em termos socioeconômicos, amplia a possibilidade de geração de emprego e renda para nossos egressos, porque terão a oportunidade de participar de concurso para docentes, pesquisadores e outros. Em termos ambientais, o doutorado vai ampliar o olhar sobre os diferentes ecossistemas amazônicos e assim poderá contribuir para sua sustentabilidade”, diz.