Sedap apoia produção agrícola familiar de assentamentos

A iniciativa assegura transporte à comercialização de produtos alimentícios de assentamentos da Região Metropolitana de Belém, como o Mártires de Abril, em Mosqueiro; Chico Mendes, em Benevides e Abril Vermelho, em Santa Bárbara

30/06/2020 12h15 - Atualizada em 30/06/2020 15h50
Por Camila Botelho (SEDAP)

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) disponibiliza o transporte para a entrega de produtos da agricultura familiar de assentamentos da Região Metropolitana de Belém, como o Mártires de Abril, em Mosqueiro, Chico Mendes, em Benevides e Abril Vermelho, em Santa Bárbara.   

Um dos coordenadores do projeto Moqueio Tupinambá, no assentamento Mártires de Abril, em Mosqueiro, Paulo Santos, afirma que o local tem, pelo menos, 50 consumidores cadastrados e fiéis que regularmente recebem, em Belém, a produção do assentamento em paneiros com ovos e galinha caipira, verduras, frutas e outros produtos.Projeto garante comercialização direta do produtor ao consumidor

O projeto tem um mês de atividades e conta com a parceria de um coletivo de assentados do próprio Mártires de Abril. "Esse processo de comercialização tem dado um gás e um ânimo para os produtores e agricultores produzirem mais hortaliças, mel de abelha, criarem galinha, porco, e cultivarem macaxeira e outros produtos alimentares’’, salientou Paulo Santos.

Ele disse que "um dos desafios hoje na agricultura é a comercialização e ter um projeto desse aqui próximo à capital, em Mosqueiro, onde você entrega a alimentação em Belém é bom”.

Paulo informou que tratam-se de produtos do campo em processo de transição agroecológica (agricultura com perspectiva ecológica), pois ainda não tem o selo de orgânico mas já representam uma produção em transição com o mínimo de agrotóxicos. O foco do Moqueio Tupinambá, frisou Paulo Santos, é avançar na produção limpa dos recursos naturais a partir da compostagem e biofertilizantes na nutrição das plantas. 

Diretora de Agricultura Familiar da Sedap, Antônia Aleixo afirma que a ação de apoio logístico aos agricultores assentados ajuda as famílias a manterem sua renda a partir de sua atividade no campo.

“É importante o apoio da secretaria nesse momento de pandemia, onde os agricultores necessitam desse auxílio para escoar a produção e manter a renda familiar”, ressaltou a diretora de Agricultura Familiar da Sedap, Antônia Aleixo.

Coordenadora da Câmara Técnica de Comercialização, Agroecologia, Produtos Orgânicos e da Sociobiodiversidade, Ivanize Carvalho compartilha do entendimento da importância do apoio da Sedap no projeto Moqueio Tupinambá.

“O consumo existe, o consumidor quer o produto e o produtor tem o produto e a secretaria faz essa ligação entre o produtor e consumidor apoiando as famílias dessas comunidades. Eles têm uma média 50 consumidores em Belém cadastrados que já são fiéis nesse consumo de produtos” 

No site da Sedap, vem acontecendo desde o dia (5) de junho, à consulta pública da Política Estadual de Agroecologia, Produção Orgânica e da Sociobiodiversidade e é importante a participação dos produtores e público em geral para o debate de uma melhor qualidade de alimento a ser consumido.

Para os agricultores a produção orgânica é um processo mais demorado, pois são vários critérios para ter a certificação. “A política”  estadual vem nesse sentido e esse público alvo que já está sendo atendido pela Sedap, certamente será o nosso público para trabalhar por dentro a política estadual a partir da aprovação da lei, onde teremos mais condições de direcionar os nossos recursos para esse tipo de produção, mas no momento a secretaria está apoiando a comercialização conforme foi relatado, reitera Ivanize.