Policlínica Itinerante supera os 30 mil atendimentos pelo interior do Pará

16/06/2020 19h35 - Atualizada em 16/06/2020 19h42
Por Carol Menezes (SECOM)

O segundo e penúltimo dia de atendimentos do projeto Policlínica Itinerante aos moradores das regiões sudeste e sudoeste do Estado teve maior procura em Altamira nesta terça (16). Em Parauapebas, cidade de mais de 200 mil habitantes, onde o serviço é ofertado na Praça de Eventos da cidade, a busca foi menor, com a oferta de consultas médicas, exames e prescrição de medicações para tratamento da Covid-19. Em ambos os municípios, a estrutura reabre à população às 8h30 desta quarta (17) e se encerra às 17h30.

Com quase 115 mil moradores, em Altamira, onde a expectativa é de até 1,5 mil atendimentos em três dias, as pessoas com sintomas leves e moderados da doença devem procurar ajuda médica no campus IX da Universidade do Estado do Pará (Uepa), local da unidade móvel neste período. “No segundo dia, a demanda em Altamira foi maior. Pegamos muitos casos nas fases iniciais. Nos dois locais são oferecidos tomografia e exames laboratoriais”, diz o coordenador de contingência da Policlínica, Sipriano Ferraz.

A versão itinerante está passando por vários municípios paraenses com o objetivo de tratar pacientes com sintomas do novo coronavírus no estágio inicial da contaminação. Além das consultas médicas, são dadas orientações quanto ao uso da máscara (obrigatória no Estado), higienização das mãos e uso do álcool em gel. Também é feita a distribuição de kits de higiene bucal.

Desde 14 de maio, a Policlínica Itinerante esteve em 30 municípios assegurando mais de 30 mil atendimentos. A estratégia móvel do Governo do Pará oferece assistência em saúde contra a Covid-19 no interior. O foco é o tratamento precoce desde os primeiros sinais da doença, evitando o agravamento e, consequentemente, a internação e superlotação das Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) e prontos-socorros. 

É uma extensão do serviço iniciado na Policlínica Metropolitana, em Belém, que começou em 21 de abril a oferecer atendimento exclusivo para pacientes com suspeita de Covid-19 depois que o governo do Estado passou a reforçar a atenção básica e desafogar UPAs e prontos-socorros. Até 15 de junho, a unidade localizada no bairro do Marco registrou mais de 44 mil atendimentos, entre consultas, exames de imagem e transferências para hospitais de referência. A capacidade é de mil atendimentos por dia.