Agentes prisionais simulam crise e treinam uso de equipamentos

Ação envolveu 30 supervisores de plantões das unidades do Complexo Penitenciário de Santa Izabel

30/05/2020 09h10 - Atualizada em 30/05/2020 13h22
Por Vanessa Van Rooijen (SEAP)

A Secretária de Estado de Administração Penitenciária (Seap), por meio do Comando de Operações Penitenciárias (Cope) e Escola de Administração Penitenciária (EAP), finalizou um ciclo de palestras sobre o uso correto dos equipamentos de proteção e Instrumentos de Menor Potencial Ofensivo (Impo), ministradas aos supervisores de equipes de plantões das unidades do Complexo Penitenciário de Santa Izabel. As instruções iniciaram na última quarta-feira (27) e encerraram nesta sexta-feira (29). 

Cerca de 30 agentes prisionais participaram da orientação, que contou com um simulado prático sobre gerenciamento de crise. A disciplina já é executada pela EAP, foi apresentada no Curso de Formação do Concurso C-199 e C-199/2, mas de forma teórica. Com isso, foi possível avaliar com mais eficiência o aprendizado dos agentes quanto aos ensinamentos passados durante a capacitação. Durante os três dias de atividade, foram realizadas instruções de procedimentos de rotinas nas casas penais, armamento e gerenciamento de crise.

Jarbas Vasconcelos, titular da SeapAlém de ressaltar aos presentes a importância do estudo do manual de padronização dos procedimentos penitenciários para a execução das atividades, o secretário de Administração Penitenciária, Jarbas Vasconcelos, afirmou, no encerramento das palestras, que visa continuar desenvolvendo os agentes da Seap, para sempre melhorar o sistema. “Nesse momento, temos duas coisas importantes para execução e ampliação na secretaria: a reinserção social, treinar e a capacitação de todos os nossos agentes e diretores”, finalizou.

De acordo com o coronel Vicente Neto, comandante do Cope, a ação tem como objetivo melhorar o serviço operacional dos supervisores. "Estamos sempre reforçando a teoria do 'triângulo na casa penal', que é o homem qualificado técnico, equipamento necessário eficiente e legal no seu uso e os procedimentos que são a base", ressalta.

O supervisor de equipes de plantão da Central de Triagem Metropolitana IV, Lucas Marques, demonstrou a gratidão da categoria pelas capacitações oferecidas pela Seap.

“Aprendemos também que a disciplina é o primeiro passo. O respeito com o procedimento carcerário. Por isso, agradecemos a todos pela oportunidade, em nome dos supervisores da Seap. Agradecemos a todas as bandeiras dos estados brasileiros que ensinaram seus procedimentos e estamos agora agregando à nossa própria identidade”, afirmou.

Na ocasião, o diretor da EAP, João Arroyo, destacou a importância do envolvimentos dos servidores quanto ao desenvolvimento de suas habilidades por meio das capacitações. "A Escola oferece cursos e aprendizagem para capacitar novos servidores da melhor forma. Estudem o Manual de Operações Penitenciárias, participem das atividades, busquem seu melhor. Isso é essencial para o bom funcionamento do sistema".