Ministro da Saúde diz que medidas adotadas no Pará serão exemplo para todo o país

Eduardo Pazuello conheceu de perto o Hospital de Campanha do Hangar e a Policlínica Metropolitana

27/05/2020 19h20 - Atualizada em 28/05/2020 10h28
Por Tayná Horiguchi (COSANPA)

Após a visita ao Hospital de Campanha do Hangar e à Policlínica Metropolitana, a comitiva do Ministério da Saúde foi até o Palácio do Governo do Estado participar de uma reunião sobre as ações de combate ao coronavírus no Pará.

Durante o encontro, a equipe de saúde paraense apresentou os números relacionados ao enfrentamento da Covid-19 na capital do Estado e nos demais municípios, assim como as estratégias usadas desde o primeiro caso registrado em solo paraense. Os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para pacientes em tratamento da doença, por exemplo, já somam 520. Os leitos clínicos pularam de 26, em março, para 1.212, em maio.

Ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello conheceu as medidas de enfrentamento à Covid-19 adotadas no ParáO ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, aprovou tanto as medidas tomadas no Pará que as levará como exemplo para as ações do ministério da Saúde. “Eu acredito que o que mais me impressionou foi a Policlínica com as ações de triagem. É uma medida que estamos discutindo agora no Ministério da Saúde e já vem sendo feita pelo Governo do Pará. Acho que é uma coisa muito resolutiva e eu estou levando como exemplo para a gente poder implantar onde há maior incidência (de Covid-19), no país. As ações no interior também. Então, a preparação do interior e continuar melhorando a capacidade na capital são necessárias, neste momento, para que nós tenhamos possibilidade de fazer frente à demanda que ainda vai acontecer no interior”, exemplificou o ministro.

Além do ministro Pazuello e do governador do Pará, Helder Barbalho, estiveram presentes o secretário de Estado de Saúde Pública (Sespa), Alberto Beltrame, o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Adler Silveira, o diretor de Desenvolvimento da Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa), Gustavo Costa, o diretor de Regulação da Sespa, Guilherme Mesquita, o procurador Geral do Estado, Ricardo Sefer, a representante da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Socorro Gross, o secretário do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS), Mauro Junqueira, o representante do Conselho Nacional de Secretários de Saúde, Leonardo Vilela, e o sub-chefe de Articulação e Monitoramento da Presidência da República, Heitor Abreu.  


Após 15 dias de lockdown no Estado, o Governo inicia o processo de retomada gradativa das atividades fortalecendo as estratégias de saúde e segurança para garantir o retorno seguro à população. De acordo com titular da Sespa, Alberto Beltrame, as ações vão desde a atenção básica até às unidades intensivas. “Agora, nossa preocupação é com o relaxamento gradual e seguro do isolamento social e para isso nós precisamos garantir a assistência às pessoas, desde o momento mais precoce até o cuidado intensivo. Então, é um grande conjunto de ações que o ministro teve a possibilidade de ver in loco o acerto das medidas feitas pelo Governo do Estado, por meio da Sespa, e nós reforçarmos aqui a importância de ter a interlocução de Estados e Municípios com a União. Não é possível fazer a gestão de uma crise, de uma grave emergência de saúde pública, sem que os três atuantes que comandam e fazem a governança do Sistema Único de Saúde (SUS) estejam sentados juntos e a demonstração foi essa hoje, em que estavam Estado, representação dos Municípios e a União. Juntos, vamos construir uma saída adequada para o enfrentamento do coronavírus e chegar a um porto seguro que proteja a vida e a saúde das pessoas”, explicou Beltrame.  

Durante a reunião, o governador agradeceu a visita e disse que o diálogo com o governo federal é fundamental para enfrentar a Covid-19. “Tem sido fundamental para que nós enfrentemos os desafios do coronavírus, a união do Governo do Estado, do governo federal e, principalmente, com a sociedade. A sociedade compreendendo a necessidade das medidas de isolamento e a união do governo do Estado com o governo federal e os governos municipais na estruturação do sistema de saúde que permitam com que estejamos em situação de atender a população. Seja o atendimento para os casos leves e médios, através das ações da Policlínica - com diagnóstico precoce, atendimento clínico -, sejam os hospitais de campanha e os hospitais de referência - com os leitos clínicos e os leitos de UTI”, afirmou Helder.

Governador Helder Barbalho apontou a necessidade de ampliação de leitos de UTIHelder Barbalho também cobrou o envio de 80 respiradores pedidos pelo Governo do Estado ao Ministério da Saúde. Dos 200 que foram pedidos, 120 foram enviados até agora. Com isso, a expectativa é de que até o fim da próxima semana, o Pará tenha 600 leitos de UTI exclusivos para atender pacientes com coronavírus. “Nós estamos avançando diariamente na ampliação dos leitos de UTI. Neste momento, nós estamos com 520 leitos de UTI especificamente para coronavírus, com respiradores, todos funcionando com toda a estrutura. E, a partir do diálogo com ministro Pazuello, nós estamos assegurando e garantindo um incremento para que cheguemos a 600 leitos de UTI específicos para pacientes de coronavírus, o que nos dá, inclusive, a estruturação necessária para que estejamos preparados para, gradativamente, passo a passo, agir na liberação de atividades econômicas, para que, de forma gradual, nós possamos retomar a vida e a normalidade da sociedade paraense”, finalizou o governador.