Agricultores fornecerão alimentos para alunos do município de Maracanã

Mais de 40 toneladas de produtos regionais serão distribuídos para aproximadamente 50 escolas da cidade 

22/05/2020 11h06 - Atualizada em 22/05/2020 12h04
Por Aline Miranda (EMATER)

Com o apoio do escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), agricultores de Maracanã, na região do Salgado, fornecerão mais de 40 toneladas de alimentos para a merenda escolar do município ao longo do ano letivo de 2020. 

Produção dos agricultores da Associação dos Pequenos Produtores do Km 32

O contrato com a prefeitura foi assinado em fevereiro, no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). A Emater, além de prestar atendimento regular na Vila do Km 32 há mais de cinco anos, ajudou a Associação dos Pequenos Produtores do Km 32 (APP) a formular a proposta e emitiu a Declaração de Aptidão (DAP) Jurídica ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). A previsão de faturamento para a Comunidade, situada na área vicinal da rodovia PA-127, é de mais de R$ 400 mil. 

Alimentos são cultivados para garantir merenda de alunos

Assim que as aulas das cerca de 50 escolas de ensino fundamental forem retomadas, já que estão suspensas por causa da pandemia do novo coronavírus, 15 famílias começarão a abastecer imediatamente o dia do dia dos alunos com produtos típicos, como farinha d’água e jerimum. Muitos dos alunos são filhos dos próprios agricultores. 

Para o chefe do escritório local da Emater em Maracanã, o engenheiro de pesca Gilmar Sousa, esse auxílio é muito oportuno, já que os canais de comercialização estão restritos e a população intensifica a busca por alimentos saudáveis. “É vantagem não só para os agricultores, mas também para o município: movimenta a economia, garante venda a preço justo em uma época na qual desconhecemos o futuro socioeconômico e consagra a regionalidade paras as novas gerações”.

É o terceiro ano consecutivo que a Associação desse tipo de ação, sempre com a intermediação da Emater. No local, a Emater executa, desde 2018, uma parceria com a Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) para a instalação de duas unidades demonstrativas: de mandioca e de hortaliças.