Concorrência Pública inicia projeto de construção de residenciais para policiais militares

O projeto habitacional elaborado pelo Estado vai oferecer moradia digna a integrantes da PM em Ananindeua, Marabá e Santarém

07/04/2020 18h58 - Atualizada em 07/04/2020 23h49
Por Matheus Soares (PM)

A Polícia Militar do Pará, por meio da Comissão Permanente de Licitação (CPL), realizou Concorrência Pública para a escolha das empresas que irão construir casas e apartamentos para o projeto habitacional elaborado em 2019, pelo Governo do Estado, com o objetivo de garantir moradia digna aos integrantes da corporação. Cinco empresas da área de construção civil participaram da licitação pública, que ocorreu nesta terça-feira (7), no Quartel do Comando-Geral (QCG), localizado no bairro Parque-Guajará, em Belém.

A Comissão Permanente de Licitação da PM durante a análise das propostasAs empresas Atan Engenharia LTDA.,  Mape Engenharia Eireli, Síntese Moradia e Construções LTDA., Sociedade Técnica de Arquitetura e Engenharia LTDA. (Soteare) e SPE Morada Santarém apresentaram as propostas para alienação de quatro terrenos pertencentes ao Fundo Assistencial Social da Polícia Militar do Pará (FASPM), com a finalidade de construir empreendimentos habitacionais que beneficiarão 880 policiais.

Ao final da Concorrência Pública, as empresas Síntese Moradia e Construções LTDA., Soteare e SPE Moradia Santarém apresentaram as propostas mais vantajosas e venceram o certame para construção de quatro residenciais, sendo dois em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém; um em Marabá, no sudeste do Estado, e outro em Santarém, no oeste. "Esse projeto irá atender principalmente os policiais que moram em áreas de risco, providenciando uma moradia digna e segura para os agentes da nossa corporação”, frisou o presidente da CPL, major Nelson de Sena.

O comandante-geral da PM, coronel Dilson Júnior, falou sobre a força-tarefa realizada para a concretização do projeto habitacional. "Além da parceria do FASPM, a atuação dos militares que compõem o corpo técnico da Comissão Permanente de Licitação foi fundamental para que tudo ocorresse além das nossas expectativas, pois os terrenos foram negociados com valores superiores aos que estavam orçados no processo. Com isso, os valores excedentes poderão ser revestidos para mais investimentos na corporação", explicou o oficial.Após a homologação do processo licitatório, as empresas definirão o cronograma das obras

Sonho antigo - O projeto habitacional para policiais militares sempre foi uma aspiração antiga da categoria, e começou a se tornar realidade em junho de 2019, após ter sido lançado publicamente pelo governador do Estado, Helder Barbalho. A concretização só foi possível graças à parceria entre a Polícia Militar, o FASPM e o Banco do Estado do Pará (Banpará), que será o agente financeiro dos conjuntos habitacionais.

A primeira fase foi iniciada ainda em 2019, com a abertura do Cadastro de Demanda Habitacional (CDH), disponível para policiais militares da ativa ou da reserva remunerada. A utilização do CDH foi fundamental para criar um banco de dados capaz de identificar a demanda de interessados em participar do programa habitacional e apontar a modalidade de crédito imobiliário mais adequada à realidade dos policiais militares.

Após homologado o resultado da Concorrência Pública, as empresas vencedoras terão o prazo de cinco dias para assinatura do contrato e definição do calendário, para início da construção dos residenciais.