Montagem dos módulos do primeiro Hospital de Campanha do Pará deverá ser concluída dia 6

A ação de combate ao novo coronavírus prevê 720 leitos a mais para o Estado

01/04/2020 15h41 - Atualizada em 01/04/2020 19h46
Por Giovanna Abreu (SECOM)

Os trabalhos de instalação do primeiro Hospital de Campanha do Estado, que será no Hangar – Centro de Convenções, em Belém, estão no segundo dia. Além dos 420 leitos para internação na capital paraense, a estrutura conta com postos de enfermagem e áreas para higienização dos profissionais de saúde. A iniciativa faz parte do conjunto de ações determinadas pelo governo do Estado para combater a pandemia do novo coronavírus e evitar a sobrecarga dos hospitais permanentes do Pará.

De acordo com Eduardo Barella, CEO da Progen, empresa responsável pela estruturação dos hospitais de campanha, a estrutura que está sendo feita na capital será a mesma das que serão feitas em Marabá, Santarém e Breves.

“São estruturas apropriadas e aprovadas por protocolos hospitalares em função da sua fácil higienização e serão iguais as já utilizadas com sucesso nos estádios do Pacaembu e Anhembi, no Estado de São Paulo”, comentou. “Essa é uma ação muito importante do Governo, que foi muito ágil na tomada de decisão e tem sido muito assertivo na implantação de medidas preventivas, que são fundamentais para conter a pandemia no Estado”, complementou Barella.

A previsão é de que a montagem dos módulos seja finalizada, em Belém, até a próxima segunda-feira (06). “Esses hospitais funcionarão como retaguarda de hospitais de referência para a internação de pacientes de média e baixa complexidade. A ideia é atender nesse espaço pacientes com síndromes respiratórias, positivados para o Covid-19, os quais, a partir de avaliação médica, não necessitam de internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas devem ser mantidos em observação”, afirma o Secretário de Saúde, Alberto Beltrame.

Ao todo, serão quatro hospitais de campanha instalados no Estado. Em Marabá, na região sudeste, serão montados 120 leitos no Centro de Convenções da cidade; em Santarém, no oeste, mais 120 no Espaço Pérola e, em Breves, na região do Marajó, 60 leitos funcionando no ginásio da cidade. O Estado, como um todo, contará com 720 leitos a mais do que o existente no sistema público de saúde. As estruturas dos demais hospitais serão entregues, na próxima sexta-feira (03), para as três cidades e a instalação já inicia no sábado (04).

Atendimento – De acordo com o secretário de saúde, Alberto Beltrame, os Hospitais de Campanha receberão não serão “portas-abertas”. “É importante frisar à população que os pacientes que irão para os Hospitais de Campanha serão aqueles indicados pelas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), pelas Unidades de Atenção Básica e de outros hospitais, dependendo de cada caso”, explicou.

A gestão hospitalar será feita por organizações sociais. “Vamos montar um corpo técnico treinado e capacitado para realizar atendimentos e proporcionar toda a estrutura de proteção para que os profissionais de saúde não se contaminem. Preservar as equipes envolvidas no combate ao coronavírus também é uma das nossas prioridades”, assegura o secretário.

Notícias falsas

A Sespa alerta que as fake news são um veneno e um desserviço para a sociedade. “O Governo do Estado tem trabalhado com transparência e cuidado para divulgar, de forma responsável, informações corretas. Vamos continuar com essa postura, seja para divulgar boas ou más notícias. Pedimos cuidado com notícias alarmistas que geram pânico na população. Nenhuma fake news é adequada para a serenidade e a tranquilidade que a população precisa ter nesse momento”, assegura Beltrame. Acompanhe os nossos canais de comunicação oficiais.