Sespa orienta sobre atendimento de casos suspeitos de Covid-19

Saiba também quais são os sintomas da doença e como se proteger

27/03/2020 14h59 - Atualizada em 27/03/2020 21h07
Por Roberta Vilanova (SESPA)

Casos suspeitos devem ser notificados e ter amostra coletada para exameA Secretaria de Estado de Saúde orienta as pessoas com sinais e sintomas leves que se enquadrem como casos suspeitos da Covid-19, que procurem atendimento, primeiramente, nas Unidades Básicas de Saúde. As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) devem ser procuradas nos casos mais graves.

De acordo com o boletim atual, emitido,nesta quarta-feira (26) pelo Comitê Estadual de Resposta à Covid-19, é definido como caso suspeito da doença a pessoa que apresentar:

  • febre alta (37,8º ou mais)
  • tosse persistente ou dificuldade de respirar
  • e que, nos últimos 14 dias, tenha retornado de qualquer viagem internacional ou interestadual ou que nos últimos 14 dias tenha tido contato próximo ou domiciliar com caso suspeito ou confirmado da Covid-19.

Todos os indivíduos que se enquadrarem nas definições de contato próximo ou contato domiciliar devem permanecer em isolamento domiciliar/social por 14 dias. Todos os indivíduos que se enquadrarem na definição de viajante devem permanecer em isolamento domiciliar/social por sete dias.

O paciente deve ser reavaliado para verificar a necessidade de hospitalização, caso haja piora do quadro clínico com saturação de 02 < 95%, sinais de cianose, batimento de asa de nariz, tiragem intercostal e dispneia, que caracterizam a evolução para Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

    A diretora de Epidemiologia da Sespa, Ana Lúcia Ferreira, ressaltou que todos os casos suspeitos devem ser notificados às Vigilâncias Municipais imediatamente até 24 horas após a suspeita pelos profissionais de saúde responsáveis pelo atendimento, seja em unidades públicas ou privadas. As Vigilâncias Municipais, por sua vez, devem notificar esses casos à Divisão de Vigilância Epidemiológica da Sespa (DVE/DEPI) ou ao Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde (Cievs/PA).

    No âmbito da rede privada de Saúde, Ana Lúcia informou que o exame de detecção do novo coronavírus já faz parte do Rol de Procedimentos obrigatórios para beneficiários de planos de saúde, conforme a resolução 453 da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)

    “A unidade privada que atender a caso suspeito da Covid-19 tem que coletar a amostra e viabilizar o exame”, enfatizou a diretora da Sespa. 

    Além disso, se a amostra der positiva, o plano deve encaminhar uma alíquota dessa amostra para o Lacen-PA, conforme determinação do Ministério da Saúde, para que seja inserida no biobanco de SARS- CoV 2. Importante ressaltar, também, que o laboratório deve ser habilitado pelo MS para realizar o ensaio na metrologia RT-PCR.

    Os pacientes atendidos na rede pública que apresentarem Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) serão encaminhados para internação em um dos 11 Hospitais de Retaguarda, que são o Hospital Universitário João de Barros Barreto (HUJBB) e mais 10 Hospitais Regionais nas diversas regiões do Estado. Esses hospitais só vão receber pacientes encaminhados por outras unidades de saúde e regulados pelo Central Estadual de Regulação (CER).

    Prevenção e tratamento

    A transmissão do novo coronavírus ocorre por gotículas no espirro ou tosse ou objetos contaminados e as evidências sugerem que as pessoas acima de 60 anos e as com comorbidade (doenças crônicas) correm um risco maior de evoluir para gravidade pela Covid-19. 

    No momento, o Pará tem 13 casos confirmados, 421 descartados e 115 em análise. Dos 13 casos confirmados, apenas um esteve internado, todos os demais ficaram em isolamento domiciliar. 

    Considerando que não existe vacina e não há tratamento específico com nenhum antiviral, apenas de suporte de acordo com a sintomatologia do paciente, a melhor forma de se evitar o contágio é adotar as seguintes medidas preventivas:

    • lavar as mãos sempre com água e sabão ou higienizar com álcool gel;
    • evitar locais com aglomeração de pessoas;
    • manter locais ventilados e evitar contato próximo com pessoas que tenham eventualmente tosse e espirro e manter a etiqueta da tosse e do espirro (proteger a boca ou nariz com lenço de papel ou o lado interno cotovelo para evitar contaminação de outras pessoas).

    Outra orientação importante é que a população mantenha distanciamento social ficando em casa para reduzir os riscos de contágio em locais públicos; e que as pessoas com algum sinal ou sintoma gripal leve permaneçam em isolamento domiciliar e só procurem atendimento médico se houver piora do quadro clínico, exceto os pacientes com comorbidades. Essas medidas ajudam para que menos pessoas sejam acometidas pela Covid-19.

    Serviço: Todos os casos suspeitos de coronavírus devem ser notificados de forma imediata (até 24 horas) pelos profissionais de saúde responsáveis pelo atendimento, às Vigilâncias Municipais ou ao Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde Estadual (CIEVS/PA) pelo telefone (91) 99179-1860 ou pelo e-mail: cievs@sespa.pa.gov.br.